Itaipu renova Iluminação da Barragem

Foram instalados 228 projetores, que se somam aos 519 já existentes. O investimento foi de cerca de R$400 mil
Clipping/Itaipu Binacional

Após 10 anos, um dos principais atrativos do Complexo Turístico Itaipu será renovado a partir do dia 14. É a Iluminação da Barragem, que passa a ter novas luzes e elementos, sob orientação do criador do projeto, Peter Gasper, um dos pioneiros do campo do lighting design no País.

Gasper esteve nesta semana em Foz do Iguaçu, orientando as equipes da Diretoria Técnica da Itaipu que atuaram na Ugg Boots UK renovação (pessoal das áreas de engenharia, obras e manutenção). Ao todo, foram instalados 228 projetores (que se somam aos 519 já existentes), um transformador de 500kVA, um quadro de distribuição e controle, entre outros materiais elétricos. O investimento foi de cerca de R$400 mil reais.

“A ideia era melhorar a finalização do espetáculo de acendimento. Então, fizemos esse up grade, enquanto trabalhamos em um projeto de revitalização mais completo, que irá permitir ainda mais dinamismo na programação”, explicou o superintendente de Comunicação e gestor da área de turismo da Itaipu, Gilmar Piolla.

Uma das principais novidades está na inclusão das quatro torres de transmissão localizadas sobre a barragem no espetáculo. “As torres estavam um pouco escondidas. Não participavam da história do espetáculo”, declarou Gasper.

O projeto também melhora o uso das cores e a iluminação das chamadas “catedrais” (vãos no concreto da barragem, entre os dutos forçados). Também há uma nova sequência de acendimento das luzes.

“Nesses 10 anos, o concreto escureceu bastante, o que é natural pela exposição ao clima. Mas, com isso, a usina ficou mais escura e cheia de sombras. Então, modificamos a iluminação para compensar esse escurecimento e agregamos novos atrativos, porque as pessoas esperam sempre novidades tecnológicas”, afirmou Gasper.

A Iluminação da Barragem foi criada em 2001. O espetáculo é apresentado todas as sextas-feiras e sábados às 20 horas (21 horas durante o horário de verão). O acendimento das luzes é realizado em perfeita sincronia com uma trilha sonora especiamente composta para o evento, criado por Antônio Fava. Mais informações no site www.turismoitaipu.com.br.

Fonte: Jornal da Instalação


Interpam Belo Horizonte

Depois da Interpam Rio de Janeiro, foi a vez da Interpam Belo Horizonte lançar a nova coleção junto ao seu catálogo, produzido pela agência Fonte31.

No dia 4 de dezembro, a Interpam recebeu arquitetos, decoradores e clientes em um coquetel na loja do bairro Funcionários, a fim de apresentar as novidades e o catálogo, transmitindo a verdadeira essência da empresa.

Realizando obras e projetos de iluminação arquitetural por 35 anos, a empresa, que está sempre em busca de atualização, teve o prazer de mostrar aos profissionais do ramo conceitos inovadores. Destaque para os peças com acabamentos em metais nobres.

Alex Rosso, Fernando Rosso e Ricardo Sobreira

Fernando Hermanny e Luciana Soares                       Edwiges Leal e Ana Lucia Rodarte

Carolina Arantes, Natalia Assis e Cioli Stancioli

Flávia Paiva , Fernando Rosso,  Rigleia Carvalho, Regina Fernandes e Ana Braga

Fernando Rosso e Alex Rosso

Natan Rijhsinghani, Breno Gontijo, Gustavo Portela e Henrique Duarte

Ellen Camargos, Luciana Carlucio, Geraldo Costa, Luciana Soares, Fernando Rosso, Helena Viana e Marcela Brandão

Luciana Carlucio e Leonardo Rotsen                                Geraldo Costa, Helena Viana e Luciana Soares

Ricardo Sobreira, Larissa Leão, Cioli Stancioli e Claudia Portela

Serviços:
Interpam Showroom Belo Horizonte
Rua Maranhäo 1487
Funcionários  -  31150-331
(31)3284-3236

Fotos: Barbara Dutra


Avant lança luminária Downlight LED High Power

A nova linha é indicada para ambientes comerciais que exijam iluminação discreta e baixo consumo de energia elétrica


A Avant conta com uma crescente linha de produtos que levam LED, de lâmpadas a luminárias, e atendem a diferentes necessidades. A novidade que chega ao mercado é a Downlight LED High Power, nova linha de luminárias de embutir. De alta potência, são especialmente indicadas para lojas, hotéis, restaurantes e escritórios, ambientes que pedem iluminação discreta e com baixo consumo de energia elétrica.

Produzidas em alumínio, as luminárias estão disponíveis em oito modelos, com seis, nove ou quinze LEDs, com consumo entre 8W e 23W. Os produtos apresentam o mesmo efeito luminoso de uma lâmpada halógena de 50W, com durabilidade de 50 mil horas, o que garante baixo custo de manutenção. Estão disponíveis em duas cores de luz – branca (5.000K) e neutra (3.000K) – e com acabamento natural ou branco (com pintura eletrostática).

A tecnologia LED (Light Emitting Diode, ou Diodo Emissor de Luz) vem revolucionando o mercado ao oferecer vantagens como eficiência energética, com redução de até 90% do consumo de energia elétrica; durabilidade, com vida útil de até 50 mil horas sem perder qualidade e sem queimar; conforto visual, com emissão de luz uniforme e constante; e flexibilidade de aplicações. Por serem sólidas e sem filamentos, resistem a vibrações.

A queda nos preços destes produtos também tem tornado ainda melhor a relação custo/benefício, uma vez que duram mais, consomem menos e exigem menos substituições. “Estes fatores tornam o LED uma tecnologia sustentável: além de exigir menos recursos energéticos, não contém metais pesados como mercúrio, facilitando o descarte e gerando menos entulho, conservando os recursos naturais e diminuindo as emissões de CO2”, diz Gilberto Grosso, diretor comercial da Avant.


Setor de iluminação espera que a redução do IPI seja prorrogada

A Abilux solicitou junto ao Governo Federal que delongue o benefício até dezembro de 2013

A Associação Brasileira da Indústria de Iluminação (Abilux) pleiteou junto ao Governo Federal a prorrogação por mais 12 meses (até dezembro de 2013), da medida que reduz a 5% as alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) relativas aos produtos (luminárias).

Estudos realizados pela Entidade apontam que a redução do IPI para o segmento não apenas viabiliza a rápida recuperação do mercado, como também estimula a aquisição de maior volume de luminárias em grandes obras resultando em benefícios para toda população.

Adicionalmente, há o benefício no consumo de energia elétrica pela troca dos antigos por novos equipamentos de iluminação com eficiência que são comprovadas por meio de estudos, medições e certificação da qualidade assegurada por empresas especializadas.


Sistemas de automação residencial transferem para tablet e celular o controle da casa

MARINA LANG

Um toque no tablet, a cômodos de distância da TV, e a veterinária Renata Ferrari Zacaro, 36, escolhe um filme para assistir com o marido, o empresário Guilherme Pereira e Oliveira, 42. De qualquer ponto da casa, o dispositivo envia, auxiliado por um sistema que se comunica via wi-fi, a escolha para a televisão de 65 polegadas que fica na sala de estar.

A mesma facilidade controla os 80 circuitos de iluminação da casa, dez cortinas motorizadas, oito zonas de áudio, três de TVs e vários splits de ar condicionado. Em questão de dias, os controles também serão dados por voz. “Um dia, tudo isso será normal em qualquer casa, tenho certeza”, anima-se Oliveira.

Por ora, não é. Nas contas da Aureside (Associação Brasileira de Automação Residencial), 300 mil lares nacionais têm sistemas de comando por controle remoto, voz, gestos, smartphone ou tablet.

São as casas inteligentes, cuja participação ainda é ínfima (0,48%) no total dos 61,3 milhões de domicílios do país. A tendência, estima a associação, é que 1,5 milhão de lares tenham tecnologias que os controlam até 2015.

“O crescimento não é absurdo, principalmente porque consumidores na faixa etária de 25 a 35 anos abrem mão de certos confortos mais antigos para ter mais tecnologia em casa”, diz o engenheiro José Roberto Muratori, diretor-executivo da Aureside. “Por exemplo, para ter um sistema de câmeras controlável a distância a fim de monitorar o bebê em casa.”

Esse total de residências com automação compreende as casas que têm algum tipo de sistema integrado –não só para comandar a iluminação mas também controlar outros recursos, como áudio e vídeo. Ou seja, a conta exclui aqueles que possuem eletrodomésticos de última geração –os atuais são quase computadores- ou apenas um controle básico das luzes. “Ter só um home theater não faz parte da conta, se ele não está integrado a um sistema.” “Em tese, qualquer equipamento pode ser automatizado -basta uma tomada programável”, diz.

Marcos Maciel/Folhapress
Arquiteta Renata Ferrari Zacaro controla a TV de 65 polegadas por meio do tablet; casa automatizada é uma vantagem, diz ela
Arquiteta Renata Ferrari Zacaro controla a TV por meio do tablet; automação comanda luz, TV, cortina e áudio

Segundo ele, essa tomada responde à programação feita para o sistema de automação da casa. Isso engloba desde sistemas de irrigação do jardim até segurança e alarmes.

QUANTO VALE?

Segundo a Aureside, os atuais sistemas de automação residenciais custam 50% menos do que há cinco anos -e são mais modernos. A associação calcula em 5% do valor do imóvel o custo para ter uma casa totalmente inteligente. Ou seja, para um imóvel de R$ 1 milhão, seriam necessários R$ 50 mil.

O preço oscila também de acordo com a personalização. “É como decoração, cada um tem um gosto. Um sistema é programável de acordo com as particularidades de uma família”, explica o engenheiro. “Tende a crescer muito. Quantas pessoas não saíram de casa e deixaram a luz acesa? A automação residencial soluciona isso.”

Fonte: Folha de São Paulo


« Previous Entries

Powered by Wordpress | Designed by Elegant Themes