Abilux apresenta o Guia orientativo “LED sem mistérios”

A Associação Brasileira da Indústria de Iluminação (Abilux) criou o Guia “LED sem mistérios” para auxiliar profissionais e consumidores a escolherem corretamente lâmpadas ou luminárias LED. A publicação orienta sobre a certificação obrigatória do Inmetro para lâmpadas, temperatura de cor, IRC, Índice de Proteção, Fluxo Luminoso etc.

O Guia explica que as lâmpadas tradicionais são ideais para a rápida substituição da tecnologia por LED. Porém, para quem for iniciar um novo projeto de iluminação, a melhor decisão é a utilização de luminárias LED, pois um bom projeto pode propiciar ainda mais economia de energia.

A publicação está disponível no link: http://www.abilux.com.br/portal/pdf/informativo_LED_Abilux.pdf


A certificação não vale para todo tipo de LED

Desde julho só podem ser comercializadas com certificação do INMETRO as lâmpadas LED com reator integrado à base que permite serem ligadas diretamente na rede elétrica.

A medida visa garantir a qualidade do produto e retirar do mercado marcas com baixa eficiência e sem garantia, que tem apenas como apelo o baixo preço.  “A certificação garante ao consumidor que o produto está em conformidade com padrões específicos de segurança, desempenho e qualidade e pressupõe um elevado investimento da indústria para atendê-lo”, explica o vice-presidente da Lâmpadas Golden, Alexandre Cricci.

Com esta iniciativa fica assegurada a retirada do mercado de LED de baixa qualidade técnica e que pode, por exemplo, causar danos a equipamentos eletrônicos ou apresentar baixa eficiência energética.

Todos os produtos certificados devem trazer nas embalagens o selo de identificação do Inmetro com o número de registro.

O fabricante ou importador é obrigado também a informar a potência (W), a eficiência luminosa (lm) temperatura de cor (K) e eficiência luminosa (lm/W).

Outra informação exigida pela certificação é a demonstração do comparativo de equivalência da potência do LED em relação à incandescente e à fluorescente.

A embalagem deve trazer ainda a identificação do fabricante ou importador e o número do registro, dados estes que podem ser consultados no site do Inmetro. Com isto, as marcas que não trazem estas informações nem serviço de atendimento ao cliente estão com a credibilidade posta em cheque.

Todo LED certificado deve exibir ainda o selo ENCE (Etiqueta Nacional de Conservação de Energia), que atesta o nível mínimo de eficiência. Só que neste caso não existe a classificação por letras.

A obrigatoriedade da certificação é válida para os modelos LED A60, GU10, GU5, PAR 20, PAR 30, PAR 38, Tubular HO, Tubular, Vela, Bolinha, Alta Potência, G9, AR70 e AR111.

Por enquanto, as luminárias mais utilizadas em residências, como painéis, spots e refletores não têm certificação. Para evitar comprar produtos de baixa qualidade ou que possam colocar em risco a segurança de sua casa, a Golden recomenda atenção na hora da compra. “Desconfie de produtos baratos, que não apresentem informação em português, que não tenham o registro do fabricante e, principalmente, que não tenham um contato de atendimento ao cliente”, orienta Cricci. Por fim, o executivo recomenda sempre verificar se existe um telefone do SAC, afinal este é o principal canal de comunicação com a empresa para garantir a troca por defeito, conforme as normas do Código do Consumidor.


Guia orientará sobre aplicação de luminárias e lâmpadas LED

Profissionais da área de iluminação poderão contar com um material de apoio na hora de especificar lâmpadas e luminárias LED. Em breve, estará disponível no site do Cepel a versão digital do “Guia Orientativo de Iluminação com a Tecnologia LED”. Editado por equipes do Laboratório de Iluminação do Departamento de Laboratórios do Fundão (DLF), e do Departamento de Materiais, Eficiência Energética e Geração Complementar (DME) do Centro, a publicação foi elaborada pelo Cepel em parceria com o Procel. Em breve, será produzida uma versão impressa para ser distribuída a autoridades e instituições do setor.

O guia surgiu a partir de demandas do Grupo Temático de Eficiência Energética (GTE), vinculado à Comissão de Política Tecnológica (CPT) da Eletrobras, em articulação com o Comitê Integrado de Eficiência Energética do Sistema Eletrobras (CIEESE). O documento foi editado para auxiliar os profissionais das empresas Eletrobras e do setor de iluminação em geral. A meta é contribuir para a execução de novos projetos de iluminação e retrofits, auxiliar profissionais na aquisição de produtos, orientar na análise técnico-econômica de produtos e no descarte correto de materiais.

A gerente do Laboratório de Iluminação do Cepel, Alessandra da Costa Barbosa, explica que o Guia atende a uma demanda, que surgiu com o advento da iluminação LED no País. “Existia interesse das empresas Eletrobras em relação as vantagens oferecidas pelo LED, cuja chegada ao mercado resultou em uma mudança de paradigma. Na verdade, a preocupação não era apenas em passar a adquirir produtos LED. Queríamos nos aprofundar, pensar na especificação dos produtos, que é um dos assuntos contemplados pelo guia”.

A Diretoria Executiva da Eletrobras divulgou, no dia 24 de julho de 2017, uma resolução aprovando a utilização do guia como documento base para criação de normas internas para cada uma das Empresas Eletrobras. A finalidade é orientar aquisições e especificações de equipamentos e dispositivos de iluminação interna e externa.

O Guia está estruturado em duas partes. A primeira trata de iluminação de ambientes internos e traz uma série de informações relacionadas às lâmpadas LED. É dividida em quatro capítulos, que abordam temas, como tecnologia, critérios de regulamentação, substituição dos sistemas de iluminação existentes por sistemas a LED (retrofit), além de apresentar recomendações, tabelas e um glossário.

Já a segunda parte trata de ambientes externos e destaca a iluminação pública de vias. As informações estão distribuídas em oito capítulos, que versam sobre normas técnicas e realização de ensaios, especificação de luminárias de exteriores e elaboração de projeto de eficiência energética em iluminação externa. Traz ainda temas, como sistemas de telegestão e descarte de lâmpadas e luminárias.


PROTESTE: Brilia se destaca na avaliação realizada após certificação do Inmetro

As lâmpadas LED já são realidade no mercado nacional, ganhando a preferência dos consumidores, que vêm cada vez mais adotando a tecnologia com o objetivo de reduzir o orçamento familiar, sem perder de vista as questões que envolvem a preservação do meio ambiente.

É possível hoje encontrar todos os tipos e formatos de lâmpadas LED, muitas vezes com os mesmos formatos e preços variados, porém, o consumidor precisa ficar atento à qualidade. Desde a segunda quinzena de julho, o Inmetro passou a certificar os produtos por meio da análise do processo de fabricação e ensaios em laboratórios para verificar se eles estão em conformidade com padrões específicos de segurança, desempenho e qualidade.

A PROTESTE, que atua na defesa e no fortalecimento dos direitos dos consumidores brasileiros, testou cinco modelos certificados e considerou, de acordo com os critérios de potência, durabilidade e luminosidade, que a Brilia se destaca entre as demais, com uma avaliação de 83 pontos. Os resultados podem ser conferidos na edição de SETEMBRO da revista PROTESTE.


Stella apresenta novo site

Interatividade, modernidade e praticidade. Alinhada a esses conceitos, a Stella lança um novo site. Seguindo uma ideia já aplicada aos materiais de especificação da empresa, de oferecer uma experiência completa e funcional ao usuário, o site tem layout renovado e novas plataformas para relacionamento com profissionais da área de arquitetura e decoração.

Apresentando uma proposta que deixa em evidência os produtos do completo portfólio da Stella, o layout do novo site é intuitivo e facilita o acesso aos produtos da marca e suas especificações. Imagens modernas e ampliadas, com novos ângulos e ainda mais detalhamento das peças, tornam mais realista e profundo o contato do usuário com o produto, ainda que de forma virtual.

O foco na experiência do usuário está refletido, também, na facilidade de acesso às informações. O novo site da Stella foi desenvolvido para a objetividade e, por isso, permite que o usuário encontre o que busca em poucos cliques. A ideia é agilizar a localização de informações e garantir um espaço dinâmico e integrado.

Para os produtos, por exemplo, uma das inovações está no agrupamento de todos os dados em páginas únicas. Além de informações técnicas e imagens, as páginas contam ainda com os manuais de instalação ou funcionamento, arquivos IES e dúvidas frequentes sobre os produtos. Resultado de um trabalho do SAC Stella para disponibilizar informações e garantir que os questionamentos possam ser solucionados de forma ágil e virtual, as dúvidas frequentes são um novo recurso do site.

A principal novidade, no entanto, fica por conta da plataforma para profissionais. No site lançado pela Stella, o relacionamento com arquitetos, designers de interiores e lighting designers ganha destaque. O Espaço do Profissional é um ambiente planejado para os especialistas da área de arquitetura e decoração, parceiros da Stella.

No Espaço do Profissional, estão reunidos arquivos e informações que abrangem o universo da iluminação e as novidades a respeito da empresa, como a versão virtual do catálogo e a agenda de eventos promovidos pela Stella. Além disso, a página conta com uma plataforma para o envio de projetos de arquitetura, iluminação e decoração, que utilizam os produtos Stella e que podem ser divulgados pela empresa. É o caminho para fortalecer o relacionamento com os profissionais responsáveis por realizar o principal propósito da Stella: iluminar ideias e o dia a dia das pessoas.

O novo layout foi aplicado ao endereço eletrônico tradicional da Stella. Para conferir as novidades, acesse www.stella.com.br.


« Previous Entries

Powered by Wordpress | Designed by Elegant Themes