STELLATECH ESTÁ ENTRE AS PRIMEIRAS EMPRESAS DE LED CERTIFICADAS PELO INMETRO

A Stellatech está entre as primeiras grandes empresas de lâmpadas LED a ter seus produtos certificados junto ao Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). A certificação foi anunciada esta semana, conforme consta no site do Instituto http://www.inmetro.gov.br/prodcert/produtos/busca.asp, cumprindo a Portaria nº 144 de 13 de março de 2015, que estabelece um padrão de qualidade e assegura a eficiência energética e a segurança das lâmpadas LED com circuito integrado à base.

A certificação junto ao Inmetro reforça um compromisso que sempre acompanhou a empresa, pois mesmo antes da divulgação da Portaria, a Stellatech já testava suas lâmpadas em laboratório próprio. Isso se comprova com a participação efetiva junto à Associação Brasileira de Importadores de Produtos de Iluminação (Abilumi) nos processos de desenvolvimento das normas técnicas para certificação de lâmpadas LED.

Importante ressaltar que essa certificação não abrange lâmpadas LED que emitem luz colorida e também ainda não se aplica a luminárias com LED integrado.


Ledluxe lança novos modelos de Lâmpadas LED

O empresário Felipe Martins  apresenta os modelos de lâmpadas da marca Ledluxe ao governado do Estado José Ivo Sartori, que chegam a economizar 90% de energia em relação as convencionais e podem durar até 50 mil horas ou dez anos.

As lâmpadas possuem testes comprovados, IESNA, LM 80, LM 79, certificação do Inmetro. A empresa trabalha em todo território nacional com diversos representantes. Em Caxias do Sul, a Ledluxe possui uma loja para atender diretamente seus clientes, já, em Porto Alegre, existe um centro de distribuição da marca.

De acordo com o sócio proprietário e fundador da Ledluxe, Felipe Martins, que é especialista em eficiência energética e em cálculo luminotécnico, “enquanto empresas e prefeituras e até mesmo residências sofrem com a crise, a Ledluxe promove soluções, como por exemplo, na redução de consumo na conta de luz. A energia elétrica no Brasil já cresceu em média 50% e está previsto um novo aumento para os próximos meses.


Expolux 2016

Novidades no layout da feira, atenção especial às novas tecnologias e às tendências em design de luminárias movimentarão o evento e os negócios do seto.

A maior vitrine de soluções para todos os segmentos de iluminação da América Latina, a Expolux é referência em tecnologia e design para fabricantes, lighting designers, arquitetos, designers de interiores, lojistas, construtores, revendedores, engenheiros, compradores nacionais e internacionais e estudantes.

A 15ª edição da Expolux (Feira Internacional da Indústria de Iluminação), em 2016, será realizada de 28 de junho a 02 de julho, em São Paulo (SP), nos Pavilhões Vermelho e Verde do Expo Center Norte e contará com uma área de 36 mil m².

Novidades no layout da feira como a distribuição setorial dos expositores; a criação de áreas como o Espaço Design, especialmente desenvolvido para expor tendências em design de luminárias; as Arenas do Conhecimento e uma nova dinâmica na realização de Rodadas de Negócios envolvendo compradores nacionais e internacionais serão implementadas e, com certeza, garantirão aos expositores melhores oportunidades e resultados quanto a audiência e aos negócios. Já os visitantes terão a oportunidade de entrar em contato com o que de mais novo está sendo desenvolvido no mundo da iluminação nos quesitos design e tecnologia.

De acordo com o gerente da Expolux, Ivan Romão, a Reed Exhibitions Alcantara Machado, com o apoio da Abilux, vem desenvolvendo um trabalho intenso junto às indústrias para ampliar o número de setores no evento.    “As primeiras avaliações apontam que teremos entre os expositores, fabricantes de luminárias decorativas, para iluminação pública, de emergência, cênica e comercial. Produtos que se destacam pela eficiência das fontes de luz, como as lâmpadas LED com tecnologias que garantem vida cada vez mais longa e com alta qualidade na reprodução das cores naturais e controladores de luz com maior rendimento para a automação das áreas internas de residências e edifícios, bem como nas vias públicas integradas à mobilidade e a segurança devem completar as atrações que os visitantes terão a oportunidade conhecer em primeiríssima mão em 2016”, completa Romão.

Para o presidente da Abilux (Associação Brasileira da Indústria de Iluminação), Carlos Eduardo Uchôa Fagundes, o cenário econômico atual exige dos empresários ousadia e visão de futuro. “É preciso enxergar oportunidades, abrir novas frentes e concentrar os esforços na conquista de novos nichos de mercado. E, nada mais propício do que estar em uma feira totalmente ambientada e preparada para receber profissionais qualificados que têm nas mãos o poder de decidir e de realizar negócios”, argumenta Uchôa Fagundes.

Uchôa Fagundes lembra que a Expolux é a maior vitrine de soluções para todos os segmentos de iluminação na América Latina. Da iluminação decorativa à iluminação pública passando por componentes e acessórios, a feira é importante para lighting designers, arquitetos, designers de interiores, lojistas, construtores, revendedores, engenheiros, compradores nacionais e internacionais além dos jovens profissionais que terão a oportunidade de aprender e entrar em contato com as mais novas tecnologias atualmente disponíveis no mercado.

As expectativas da Reed Exhibitions Alcantara Machado, a organizadora do evento, e da Abilux são de que a Expolux 2016 será ainda maior do que a anterior. Em 2014 a feira contou com participação recorde de 300 expositores, 21 mil visitantes e o lançamento de mais de 600 novos produtos.

Sobre a Reed Exhibitions Alcantara Machado: A Reed Exhibitions Alcantara Machado atua no Brasil através dos seus escritórios em São Paulo, Recife e Ribeirão Preto. Com um portfólio de cerca de 32 marcas em todo o território nacional, o grupo traz para o Brasil as melhores práticas em exposição de eventos, com a experiência de quem é líder mundial neste mercado. Participar de um evento organizado e promovido pela Reed Exhibitions Alcantara Machado é estar numa vitrine de relacionamento que recebe anualmente, somente no Brasil, cerca de 1 milhão de compradores. Além do Brasil, a Reed Exhibitions atua em 42 países. São mais de 500 eventos distribuídos pelas Américas, Europa, Oriente Médio e Ásia.


Empresas do setor de iluminação querem exportar ao mercado árabe

As empresas brasileiras do setor de iluminação querem exportar ao mercado árabe. Por meio do projeto de promoção comercial Lux Brasil, as fabricantes têm a Arábia Saudita como mercado alvo, ao lado de Alemanha, Chile, Estados Unidos, Reino Unido e Peru. Algumas avaliam que todo o Golfo tem potencial para comprar os produtos, sobretudo aquelas que oferecem projetos customizados e que realçam as características brasileiras no design e materiais utilizados.O projeto Lux Brasil foi criado em 2010, resultado de uma parceria entre a Associação Brasileira da Indústria de Iluminação (Abilux) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), que desenvolve projetos com diversas instituições. Por meio deles são realizadas viagens, participação em feiras e ações de marketing.

De acordo com a gestora de inteligência comercial do projeto na Lux Brasil, Clarissa Marchioretto Amadio, as empresas brasileiras do setor de iluminação exportam desde os anos 1970, mas este segmento reúne companhias com características e áreas de atuação muito distintas. Há empresas que atuam com iluminação pública, outras no setor de iluminação comercial e outras, ainda, no de iluminação decorativa.

Em relação ao mercado árabe, afirma, o foco são os projetos e produtos de iluminação decorativa. A Arábia Saudita figura entre os mercados alvo devido às pesquisas feitas pelo projeto. “As empresas brasileiras podem se destacar nestes países ao mostrar a brasilidade, por meio dos projetos e do design brasileiro. Eles apreciam isso”, afirmou Amadio à ANBA. Ela disse que neste setor há concorrência de preço com os produtos da China, e de design e acabamento com europeus e norte-americanos. “Podemos ser uma alternativa ao reunir qualidade, tecnologia e design, porém com um preço menor”, afirmou.

Uma das empresas que apostam no mercado árabe é a Aver Metais, de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. O diretor da empresa, Jefferson Aver, afirmou que o processo de internacionalização da empresa ainda é recente. A intenção de exportar, contudo, é antiga. Além disso, diz, seus lustres e luminárias se encaixam no gosto dos árabes.

“Temos um produto de maior valor agregado, que pode ser a ‘joia’ casa. Podem ser folheados em ouro e em prata. Mas se destacam mesmo aqueles com cristais de rochas brasileiras. Nosso estilo é clássico, que se encaixa ao gosto dos clientes árabes”, afirmou. Um lustre da empresa pode custar até três vezes menos do que os US$ 8 mil cobrados por concorrentes.

A Fasa, que faz projetos com fibra ótica também aposta no mercado árabe, embora o diretor de marketing, Wilson Sallouti, afirme que esse projeto ainda está em estágio “embrionário”. Iluminação de piscinas, chafarizes e ambientes são alguns dos serviços que a Fasa oferece. “Nossos produtos são customizáveis e arrojados, o que se encaixa em projetos da região. As aplicações da fibra ótica são condizentes com ambientes em que há água, porque não conduz eletricidade, e de museus e obras de arte, pois não transmitem infravermelho (e não geram calor)”, afirmou. A empresa fica em Peruíbe, no litoral de São Paulo, e exporta para Chile e Bolívia.

De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), organizados pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira, as empresas associadas à Abilux exportaram US$ 191,1 milhões em 2015, com queda de 15% em comparação a 2014. O principal comprador foi o México, seguido por Estados Unidos, Índia e China. De acordo com informações do site do projeto Lux Brasil, o atual convênio com a Apex-Brasil se encerrará no fim deste ano, e prevê investimentos de R$ 3,1 milhões entre dezembro de 2014 e dezembro de 2016.

Informações:

Lux Brasil – http://www.luxbrasil.net/
Aver Metais – http://www.avermetais.com.br/ e +55 54 3220-4043
Fasa – http://www.fibraotica.com.br/ e +55 13 3458-2878

FONTE: http://www.anba.com.br/noticia/21870667/oportunidades-de-negocios/arabes-no-foco-das-empresas-de-iluminacao/


STELLATECH LANÇA LUMINÁRIA LED FLAT

Com LED integrado, novidade substitui calhas e tubulares fluorescentes

Ideal para ambientes internos que exigem iluminação difusa, como cozinha, garagem e escritório, a Luminária LED Flat da Stellatech é versátil e extremamente fina, acompanhando as tendências mundiais em design e tecnologia.

A novidade, que integra a linha STELLAECO, é uma excelente escolha já que economiza 50% de energia, além de ter durabilidade cinco vezes maior, em comparação com as fluorescentes.

De fácil instalação, por possuir LED e fonte integrados, permite diferentes aplicações. Em sua forma mais comum, será instalada como luminária de sobrepor. Porém, também pode ser utilizada como pendente com o auxílio do Kit Suspensão, vendido separadamente.

O produto, que tem fonte bivolt de alto fator de potência, pronto para ser ligado à rede elétrica, está disponível nas versões curta (60cm – 18W) e longa (120cm – 36W), em três temperaturas de cor: branco quente, branco neutro e branco frio.

Principais características técnicas do produto:

LUMINÁRIA LED FLAT 18W

STH6910/30 – branco quente, 1500lm

STH6910/40 – branco neutro, 1550lm

STH6910/57 – branco frio, 1600lm

*Substitui 2 fluorescentes tubulares de 18W

LUMINÁRIA LED FLAT 36W

STH6920/30 – branco quente, 3000lm

STH6920/40 – branco neutro, 3100lm

STH6920/57 – branco frio, 3200lm

*Substitui 2 fluorescentes tubulares de 36W

Tensão: AC100-240V     Índice de Reprodução de Cor: >80    Durabilidade: 25.000h


OPlus LED inicia operações no Brasil

Fundada em Hong Kong, a empresa é especializada no desenvolvimento de tecnologias LED para iluminação

Criada há 12 anos em Hong Kong, a OPlus é especializada no desenvolvimento da tecnologia LED para iluminação e já atua diferentes países, como Austrália, EUA, Japão, Itália, Canadá, Peru, Turquia, Rússia, Bélgica, Indonésia e etc. A empresa possui selos ambientais de relevância internacional, como o RoHS (conhecido como “a lei do sem chumbo”), uma diretiva Europeia que restringe a utilização de 6 substâncias perigosas nos produtos que entram no Velho Continente.

A marca trouxe para o Brasil o que há de mais novo na geração de SMD (Surface Mounting Device). Como toda tecnologia, as lâmpadas também recebem atualizações e aprimoramento, sendo construídas a partir de componentes eletrônicos, como ocorre com drivers e dissipadores de calor, elementos que garantem o rendimento e tempo de utilidade do produto.

A primeira geração da iluminação, com alto desempenho versus o consumo, o diodo era a solução de maior ganho para os consumidores, por causa do fluxo luminoso em relação a sua potência. Hoje, o mercado mundial já oferece modelos mais modernos, com dispositivos montados em superfícies com um ou múltiplos chips, estrutura que visa reduzir o espaço ocupado pelos tradicionais componentes (resistências, diodos, transistores e CIs).

O LED SMD é vantajoso, pois possui alto brilho, com mais luminosidade e visibilidade, menor consumo de energia em comparação aos LEDs comuns. Esta vantagem foi um dos fatores que motivaram a vinda da marca ao Brasil. “A ideia surgiu da necessidade de trazer produtos de qualidade para o mercado. Nós, brasileiros, nos acostumamos com o que temos aqui, e ficamos perplexos com a defasagem que há entre nós e o mercado externo quando fazemos uma viagem”, comenta Matheus Leite, sócio e diretor da OPlus LED Brasil.

Mais informações: www.oplusled.com.br / (11) 5051-1942


« Previous Entries Next Entries »

Powered by Wordpress | Designed by Elegant Themes