Ourolux tem novo centro de distribuição

A Ourolux, companhia com mais de 20 anos de experiência no cenário nacional de iluminação, agora conta com um novo centro de distribuição, situado na cidade de Guarulhos (SP). A unidade, que foi inaugurada em sua plenitude no mês de janeiro de 2015, dispõe de 16 mil m² de área de estoque com porta-pallets e sistema WMS, onde diferentes produtos são armazenados para serem distribuídos por todo o território nacional.

“Nosso centro possui a capacidade de distribuir para todo o Brasil, e também para exportação. Atualmente, focamos principalmente nas regiões Sudeste, Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Cerca de 600 itens são armazenados no espaço, o que totaliza mais de 15 milhões de lâmpadas. Hoje, os principais itens que o CD distribui são as lâmpadas SuperLED e as fluorescentes eletrônicas”, comenta Antonio Carlos Pazetto, diretor-comercial da Ourolux.

Além do novo CD, localizado em Guarulhos, a companhia possui centros em operação na cidade de São José dos Pinhais (PR), e no Rio de Janeiro (RJ). No segundo semestre do ano passado, a companhia também instalou uma unidade na cidade de Recife (PE), com o propósito de atender o Nordeste do País, região que tem apresentado forte crescimento.

De acordo com Pazetto, a crescente demanda por produtos LED movimentou o mercado de iluminação. Atualmente, o consumidor tem o conhecimento dos benefícios do LED e, consequentemente, procura este tipo de produto. “A Ourolux tem colhido bons frutos desta demanda, o exemplo disso é que em 2014 o resultado foi muito positivo. A diversidade do portfólio e a disponibilidade da linha SuperLED nos permitiu manter a liderança. Nossa expectativa de crescimento para este ano é de 8%”, antecipa o diretor.

Hoje, a empresa utiliza plantas fabris terceirizadas na Ásia e no Brasil e conta com a colaboração de 300 funcionários. Em Guarulhos (SP), a Ourolux dispõe de um laboratório de testes, onde são realizados os ensaios dos produtos. Características elétricas e fotométricas são avaliadas, como tensão, potência, corrente, temperatura de cor, IRC, curvas de distribuição, fluxo luminoso, cálculo de vida útil e eficiência luminosa.

Fonte: Gazeta News


Ledclass inaugurará fábrica de produtos de iluminação

A Ledclass, empresa brasileira fundada em 1995, apresentará ao mercado no próximo mês de agosto, sua nova fábrica de luminárias e lâmpadas LED. A nova unidade será instalada na cidade de Elói Mendes, em Minas Gerais. Desde o ano passado, a Ledclass está voltada somente para a área de projetos e soluções em iluminação LED, envolvendo energia sustentável, como painéis fotovoltaicos.

Com capacidade inicial para produzir nove mil unidades ao dia, em um único turno de trabalho, a Ledclass focará primeiramente no mercado de luminárias para postos de gasolina, luminárias públicas e refletores de 30, 60, 90, 120 e 150W. Todos os equipamentos possuem tecnologia Coreana que garante mais lumens por watt e que dispensa o uso de fontes e drives, o que gera menor consumo de energia, além de ter mais de 60% de nacionalização dos produtos.

A companhia desenvolve produtos para a área de iluminação pública, industrial, comercial e residencial. A Ledclass é uma importadora e distribuidora de placas fotovoltaicas, luminárias e lâmpadas LED para iluminação de ambientes internos e externos, os produtos são fabricados na China e na Coréia.

A Ledclass possui em seu quadro de colaboradores, profissionais especializados com mais de 20 anos de experiência na área de Iluminação e projetos luminotécnicos, e está credenciando representantes em todo Brasil. A matriz da empresa está sediada na cidade de Campinas, São Paulo, possuidora de polo de alta tecnologia.

Para mais informações: www.ledclass.com.br


Philips realiza Innovation Experience na América Latina

A multinacional holandesa Philips promoveu, pela primeira vez na América Latina, o Philips Innovation Experience, o principal evento global da marca, que tem o objetivo de mostrar como a empresa trabalha no sentido de tornar melhor a vida das pessoas. Por meio de experiências interativas, a companhia exibiu suas inovações relacionadas aos temas: “Vida Conectada”, “Soluções de Iluminação Inteligente” e “Cuidados Contínuos com a Saúde”.

No ambiente “Soluções de Iluminação Inteligente”, além de uma ampla gama de produtos, foram apresentados cases de sucesso que geraram economia de energia e aumento da segurança, impactando positivamente a rotina das pessoas com uma iluminação mais inteligente, como é o caso da Parceria-Público Privada na cidade de Buenos Aires, na Argentina. O embelezamento da cidade ficou por conta da iluminação 100% LED, que contribui para um ambiente mais seguro, confortável e sustentável. “Vemos a indústria da iluminação passando por uma transformação desde a criação da primeira lâmpada. Nós pretendemos acelerar o processo de adoção de novas tecnologias, pois a inovação está no DNA da Philips”, declara Henk de Jong, CEO para América Latina.

A empresa demonstrou também soluções voltadas para iluminação esportiva, como o ArenaVision, instalado no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, que proporciona uma experiência agradável a jogadores, torcedores, e até mesmo às emissoras de televisão, ajudando a oferecer uma transmissão de imagens com alta qualidade. “A Philips possui um portfólio amplo, com capacidade para atender os mais diversos projetos de iluminação. São soluções que oferecem baixo consumo e tecnologia de longa duração, por isso, somos líderes no segmento em todo o mundo”, argumenta Renato Garcia, diretor de Iluminação da Philips Brasil.

O local escolhido para sediar a edição brasileira do Philips Innovation Experience foi o Museu Brasileiro da Escultura (Mube), na capital paulista, nos dias 23 e 24 de junho de 2015. “A missão da Philips é melhorar a vida de três bilhões de pessoas até 2025 e, na América Latina, nossa meta é atingir a vida de 180 milhões, por meio de inovações e soluções que fazem a toda diferença”, afirma o CEO. Ainda segundo ele, até o ano de 2050, a população mundial deverá chegar a nove bilhões de habitantes, havendo alta demanda de energia, iluminação e soluções cotidianas práticas e eficientes.

Para conhecer demais soluções e informações úteis oferecidas pela companhia, nas áreas de Cuidados com a saúde, Iluminação e Estilo de vida, acesse: www.innovationandyou.philips.com.


Ledclass inaugurará fábrica de produtos de iluminação

A nova unidade, localizada na cidade de Elói Mendes (MG), produzirá luminárias e lâmpadas LED

A Ledclass, empresa brasileira fundada em 1995, apresentará ao mercado no próximo mês de agosto, sua nova fábrica de luminárias e lâmpadas LED. A nova unidade será instalada na cidade de Elói Mendes, em Minas Gerais. Desde o ano passado, a Ledclass está voltada somente para a área de projetos e soluções em iluminação LED, envolvendo energia sustentável, como painéis fotovoltaicos.

Com capacidade inicial para produzir nove mil unidades ao dia, em um único turno de trabalho, a Ledclass focará primeiramente no mercado de luminárias para postos de gasolina, luminárias públicas e refletores de 30, 60, 90, 120 e 150W. Todos os equipamentos possuem tecnologia Coreana que garante mais lumens por watt e que dispensa o uso de fontes e drives, o que gera menor consumo de energia, além de ter mais de 60% de nacionalização dos produtos.

A companhia desenvolve produtos para a área de iluminação pública, industrial, comercial e residencial. A Ledclass é uma importadora e distribuidora de placas fotovoltaicas, luminárias e lâmpadas LED para iluminação de ambientes internos e externos, os produtos são fabricados na China e na Coréia.

A Ledclass possui em seu quadro de colaboradores, profissionais especializados com mais de 20 anos de experiência na área de Iluminação e projetos luminotécnicos, e está credenciando representantes em todo Brasil. A matriz da empresa está sediada na cidade de Campinas, São Paulo, possuidora de polo de alta tecnologia.

Para mais informações: www.ledclass.com.br


Incandescentes de 75W e 100W saem definitivamente do mercado

A partir de 1º de julho fica proibida a comercialização das lâmpadas incandescentes de 75W e 100W. A fabricação ou importação destas lâmpadas já estava proibida desde julho do ano passado.

A partir do próximo dia 1º de julho fica proibida a comercialização das lâmpadas incandescentes de 75W e 100W. A fabricação ou importação destas lâmpadas já estava proibida desde julho do ano passado, e agora deixarão de existir definitivamente.

O Brasil optou por eliminar a fabricação e comercialização das lâmpadas incandescentes de forma gradual, assim como aconteceu com os países europeus. Na Europa a eliminação quase que total da incandescente levou três anos e encerrou-se em 2012. Em outros países a escolha foi banir essa lâmpada de uma única vez, começando por Cuba em 2005, seguido pela Austrália em 2010, Argentina em 2011 e Estados Unidos em 2014.

No Brasil, não existe lei determinando a proibição da fabricação ou importação e comercialização das incandescentes, como muitos acreditam. O que existe é uma Portaria Interministerial de n° 1007, de 31/12/2010, na qual o Inmetro – Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – estabelece a eficiência luminosa mínima para as lâmpadas incandescentes, em patamares muito altos, que inviabilizam sua fabricação.

“Trata-se de uma escolha mundial para reduzir o consumo de energia elétrica, a geração de calor e emissão do CO2 que ocasionam o efeito estufa, e o excesso de descarte que contamina o meio ambiente”, explica Gilberto Grosso, CEO da Avant, empresa brasileira com 17 anos de atuação no segmento de lâmpadas e luminárias de qualidade.

Opção pelo LED

Estima-se que o mercado de incandescentes em 2014 tenha sido próximo a 250 milhões de unidades. Com o fim da fabricação dessa tecnologia de lâmpada em 2016 e fim da comercialização geral em 2017, a migração irá para as compactas fluorescentes, conhecidas como econômicas, e para os modelos de LED.

Para o executivo da Avant, “o custo versus o benefício que uma lâmpada de LED proporciona compensa a substituição, já que o LED dura muito mais; não é poluente, pois não contém metais pesados como o mercúrio; gera menos calor e, com isso, menos dióxido de carbono (CO², responsável pelo efeito estufa); não emite radiação UV; e gera 25 vezes menos lixo contaminante do meio ambiente, já que a troca devido ao fim da vida mediana útil da lâmpada é de longo prazo – 25 mil horas.”

Datas marcadas

Agora será a vez das lâmpadas incandescentes de 60W, as mais usadas pelos brasileiros, entrarem em contagem regressiva. Já a partir de 30 de junho elas não poderão mais ser fabricadas nacionalmente ou importadas. Todavia, os fabricantes e importadores que ainda tiverem estoques destes modelos têm autorização para comercializá-los até o dia 30 de dezembro de 2015. E os lojistas, por sua vez, poderão vendê-los para os consumidores até 30 de junho de 2016, quando deixará de existir no Brasil.


Brilia garante 75% de economia de energia na CASA COR São Paulo

Fornecedora oficial de iluminação da 29ª edição da CASA COR São Paulo, a Brilia apresenta os números de economia com a utilização de LED em todos os ambientes da maior mostra de arquitetura, decoração e paisagismo das Américas. Em comparação ao uso das lâmpadas tradicionais, houve 75% de redução no consumo de energia.

A Brilia disponibilizou 6.547 lâmpadas LED, que foram distribuídas entre os 76 espaços da CASA COR. Durante o funcionamento diário da mostra (12h por dia), a média de gasto com iluminação é de R$ 244,63. Já se a iluminação fosse feita por meio das lâmpadas tradicionais, este valor chegaria a R$ 1.009,36. Ao total dos 50 dias da CASA COR, a média de gasto deve ser de aproximadamente R$ 12 mil, já se fossem utilizadas lâmpadas tradicionais, este valor seria de aproximadamente R$ 51 mil.


« Previous Entries Next Entries »

Powered by Wordpress | Designed by Elegant Themes