Ginásio esportivo ganha conforto térmico e economiza 60% de energia com LED

Retrofit de iluminação garante economia anual de R$ 12 mil

No ambiente escolar, o espaço destinado à atividade esportiva requer um cuidado à parte em relação aos demais ambientes. Sua iluminação visa proporcionar lazer e bem-estar aos usuários, garantindo a boa visibilidade sem comprometer o conforto visual. Mas com os avanços tecnológicos, critérios como calor e redução do consumo de energia passaram a ser aliados importantes em projetos luminotécnicos para a prática recreativa e educacional de esportes.

Estes foram os princípios norteadores do projeto desenvolvido pela Celena para o retrofit do ginásio esportivo do Colégio Emilie de Villeneuve, na Vila Mascote (SP).

O complexo com 1500m2 formado por três quadras e duas arquibancadas usava refletores metálicos e lâmpadas tubulares fluorescentes, produtos de elevado consumo e que contribuíam para aquecer em demasia o ambiente. No lugar do refletor metálico de 400W foi instalado refletor Extreme LED de 200W da Lâmpadas Golden, fixados nas laterais da estrutura do telhado direcionados para o interior das quadras com 40º de inclinação para não ofuscar a visão.

A tecnologia LED garante acendimento automático, o que é uma grande vantagem para locais com atividade esportiva, que demandam boa iluminação para atletas e público. “Já a lâmpada de vapor metálico usada anteriormente leva de 15 a 20 minutos para chegar a 100% do fluxo em caso de pico de energia”, explica o coordenador comercial da Celena, Ricardo Longarço.

A iluminação da quadra é completada pela luminária Extreme LED High Bay de 200W da Lâmpadas Golden, num total de 31 luminárias fixadas em fileiras na lateral e no meio. Devido sua lente refletora com flexibilidade de distribuição e ângulo de abertura de 60° e 120°, permite uma iluminação livre de ofuscamento e sombras. Sua luz branca fria (5700K) é estimulante e indicada para locais com  prática de esporte e atividades físicas, sem alterar a cor dos objetos.

Na arquibancada superior foram usados refletores Extreme LED da Lâmpadas Golden de 50W usando a mesma estrutura anterior , também com 40° de inclinação e com vidro temperado que garante mais segurança em caso de possíveis quebras. A arquibancada inferior recebeu tubular LED de 9W e 18W da Linha Extreme da Lâmpadas Golden em substituição à tubular fluorescente de 20W e 40W, garantindo o mesmo fluxo luminoso com menos consumo de energia e menos trocas.

As características de iluminação buscaram assegurar a boa visibilidade do objeto em movimento, no caso a bola, e das linhas demarcatórias. Foi levada em consideração ainda a ausência de reflexos sobre o piso de madeira e o conforto térmico de atletas e público. Neste caso a tecnologia LED apresentou-se como a mais apropriada por não emitir calor. O fluxo luminoso está de acordo com a norma NBR 8837 de iluminação esportiva.

Para utilização racional da energia elétrica e aumento da vida útil dos equipamentos, foi utilizada instalação de circuitos independentes nas quadras.

Também fez parte do projeto a remodelação da iluminação do vestiário e banheiro, que antes tinha uma iluminação monótona com fluorescentes tubulares. Em seu lugar foi aplicada a Extreme LED Downlight de 28W da Lâmpadas Golden para iluminação geral instalada no teto rebaixado. Ainda foi usada a Ultra LED Spot LED redonda de 6W de embutir da Golden sobre os espelhos e pias, proporcionando uma luz focal.

Outra área beneficiada pelo retrofit da iluminação foi a piscina, que recebeu 11 luminárias LED High Bay de 150W no lugar das de vapor metálico com 400W. A tecnologia com maior tempo de vida é ideal para locais com pé direito alto e de difícil manutenção.

A tecnologia LED adotada permitiu uma economia mensal de 11.435 W e no ano de 137.220 W, uma redução de aproximadamente 60%. Isto representa uma diminuição nas despesas anuais com custo de manutenção e de energia elétrica de R$ 12 mil.

O retrofit também garante mais tempo sem troca de lâmpadas, reduzindo os custos com manutenção. “Por parte das lâmpadas, a próxima troca se dará entre 8 e 12 anos. No caso da High Bay este tempo é ainda maior, sendo em torno de 16 anos, conforme o tempo de uso indicado pela escola”, finaliza Longarço.

Ficha técnica

Projeto: Celena

Lâmpada: lâmpadas tubulares, Downlights, Spot, Refletores e High Bay da linha Extreme LED da Lâmpadas Golden

Fotógrafo: Rubens Campo


San Diego fecha parceria com a GE para melhorar tráfego e reduzir custos de energia

sandiego  smn

Faulconer de San Diego disse, “San Diego provou que infraestrutura inteligente economiza energia e dólares dos contribuintes. Acreditamos que a parceria Intelligent Cities vai nos ajudar a ir mais longe na criação de infraestruturas verdadeiramente inteligentes que nos ajudem a melhorar os serviços para o público”.

Maryrose Sylvester, Presidente e CEO da GE Lighting enfatizou que “a GE está muito orgulhosa de poder colaborar com San Diego mais uma vez, conectando a cidade à Internet Industrial. Este é um momento de transformação para a GE, à medida que continuamos a aproveitar a análise de big data para proporcionar valor e resultados significativos para nossos clientes”.

A parceria Intelligent Cities irá englobar o uso de sensores avançados e da plataforma Predix ™ da GE, que permite o controle avançado de iluminação, a otimização de tráfego e estacionamento e o monitoramento e a análise ambiental. O trabalho, previsto para começar na primavera local, vai se concentrar na avaliação de uma parte das luzes de LED e sensores de rua localizados já implantados em toda a cidade.

No ano passado, San Diego tornou-se a primeira cidade dos EUA a utilizar amplamente a iluminação em LED da GE com a tecnologia de controles externos sem fio LightGrid ™. A tecnologia, implantada em mais de 3.000 postes de luzes da cidade, economiza mais de US$254 mil por ano para cidade, em custos de energia e manutenção.


OUROLUX LANÇA INÚMEROS PRODUTOS EM MARÇO

Produtos com design diferenciado e soluções práticas são os destaques da empresa

A Ourolux, empresa com mais de 20 anos de experiência no mercado de iluminação, lança em março uma infinidade de produtos para ambientes internos e externos, tanto para residências, quanto comércio. Como um dos lançamentos deste ano, a Ourolux apresenta a linha SUPERLED FILAMENTO, que une a durabilidade e baixo consumo de energia elétrica à beleza da iluminação especial para lustre e abajures, em que a distribuição de luz uniforme é fundamental. Nos modelos bulbo tradicional, bolinha e vela, os produtos estão disponíveis nas temperaturas de cor 2700K e 6400K, com acabamentos claro e fosco. Todos os modelos são bivolt e ligados diretamente na rede elétrica, pois possuem drivers incorporados.

Além disso, lança também a LUMINÁRIA SUPERLED TUBE, solução perfeita para iluminação de tetos e forros que vai dispensar múltiplos pontos de energia e reduzir as ligações elétricas entre as luminárias, uma vez que o produto já traz um conector para unir uma luminária à outra facilitando muito o processo de instalação. Leve e compacta (utiliza espessura de uma lâmpada Tubular T5), está disponível nos modelos 9W (60cm de comprimento) e 18W (1,2 de comprimento), nas temperaturas de cor 4000K e 6400K. A luminária é bivolt e ligada diretamente na rede elétrica e não precisa de nenhum acessório adicional.

Ainda dentre as novidades, a Ourolux é a primeira a trazer LUMINÁRIAS DE EMERGÊNCIA SUPERLED. Isto significa que, com uma quantidade menor de LEDs, os produtos iluminam muito mais. O fluxo luminoso dos produtos foi incrementado em quase 40% no modelo de 6 SUPELEDs e 30% no modelo com 12. O consumo de energia foi reduzido em 50%, nas duas versões.

Para completar a gama de principais produtos lançados e expostos, a empresa apresenta a GAS STATION, luminária indicada para a iluminação de postos de gasolina ou galpões em que a luminária de embutir seja a melhor solução.  Com design compacto, é produzida em alumínio com pintura eletrostática anti-corrosão. Possui nova tecnologia para dissipação de calor e condutividade térmica 2 vezes e ½ maior que o modelo em alumínio fundido comum. O modelo especial do dissipador de calor garante longa vida útil do produto. A alta qualidade dos chips de LED utilizados garante a economia de 70% de energia em comparação com os modelos de lâmpadas de vapor metálico. Não contém mercúrio e não emite radiação UV ou IR.

Entre outros destaques estão:

SUPERLED COLORS: nos modelos bolinha, bulbo e GU10, o consumidor poderá colorir diversos ambientes consumindo apenas de 4W a 7W de energia, dependendo do modelo. Versões nas cores verde, azul, vermelha e amarela, ideais para incrementar a decoração de ambientes especiais. Todos os modelos são bivolt e ligados diretamente na rede elétrica, pois possuem drivers incorporados.

PLAFON LED DE EMBUTIR: o produto tem a profundidade de apenas 26mm e diâmetro de 245mm. Com potência de 21W e facho de 100°, o plafon tem seu corpo em alumínio, dissipador e driver bivolt incorporados. Nas temperaturas de cor 4100K e 6400K.

LINHA SUPERLED PAR: Os modelos PAR 20, PAR 30 e PAR 38 da Ourolux agora vêm com novo design e tecnologia LED no modelo COB (chip on board). Esta tecnologia permite um foco com melhor definição e maior dispersão da luz emitida, pois sua abertura é de 36°. Sua aplicação é a mesma dos demais modelos PAR, ou seja, para locais em que se deseja iluminação focada. A linha é bivolt e está disponível nas temperaturas de cor 3000K e 6400K e consomem apenas de 6W a 12W de energia, dependendo do modelo.

HALÓGENA BULBO: O produto, que ilumina 360°, tem a luz brilhante de uma lâmpada halógena no formato mais tradicional, com acabamento em vidro. O produto aceita dimerização.

SUPERLED MR11: Além do modelo 12V, o novo modelo bivolt vem com a base GU10 e é ligado diretamente na rede elétrica, sem a necessidade de um transformador eletromagnético, como no modelo já existente. Neste momento está disponível a temperatura de cor 6400K.

SUPERLED AR 70: Agora é bivolt. Esta mudança permite que o produto seja ligado diretamente na rede elétrica, sem a necessidade de um transformador eletromagnético. O modelo vem nas versões 3000K e 6400K.

Os lançamentos têm um ou dois anos de garantia, dependendo do modelo, reforçando a confiança da Ourolux na durabilidade de seus produtos.


PLDC 2015 anuncia programa oficial

Neste ano, o evento Professional Lighting Design Convention (PLDC) chega a sua 5ª edição. Após passar por Londres (2007), Berlim (2009), Madri (2011) e Copenhague (2013), o evento que – ocorre a cada dois anos -, desembarca na capital italiana (Roma), com uma expectativa de público de 1.500 participantes.

Como nos anos anteriores, a Convenção, que reúne aproximadamente 70 palestras, será construída sobre quatros plataformas: Aplicação e Estudo de Casos, Pesquisa e Prática Profissional são as três plataformas básicas que se repetem a cada edição. A quarta vertente é definida de acordo com o momento vivido pelo mercado e estabelece a orientação da edição.

Neste ano, o tema é “Luz e Cultura”, plataforma sobre a qual serão apresentados projetos recém inaugurados, cujo objetivo é demonstrar como a luz transformou espaços culturais, tais como museus, galerias de arte e áreas do patrimônio público. O outro ponto é indicar como a luz é percebida por diferentes culturas e, consequentemente, como isto influencia o lighting design.

Também será abordado o impacto das novas tecnologias na cultura da luz e como a sua aplicação está moldando o desenho e as estratégias da iluminação. O programa oficial do congresso pode ser conferido no site: www.pld-c.com

Serviço

Evento: Professional Lighting Design Convention (PLDC)

Data: 28 a 31 de outubro de 2015

Local: Roma (Itália)


Após adotar iluminação a LED, IP de São Luiz do Paraitinga se prepara para a telegestão

Divulgação/Golden

Ruas da região central da cidade histórica de São Luiz do Paraitinga (SP) acabam de receber a instalação de 120 luminárias com tecnologia LED. A iniciativa, fruto da parceria da Elektro com a Lâmpadas Golden, faz parte do Projeto Cidade Inteligente que foi concebido pela distribuidora de energia com a finalidade de incentivar a adoção de tecnologias que gerem economia no consumo de energia elétrica e redução do impacto ambiental. O projeto vai além da troca de tecnologia e busca mobilizar toda a comunidade do município para uma mudança comportamental e cultural rumo à sustentabilidade.

As luminárias Extreme LED Square Modular têm a temperatura de cor amarelada e foram escolhidas pelo efeito saudosista, que remete aos tempos em que a iluminação da cidade tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) era feita pelo lampião, porém com a vantagem de serem 50% mais econômicas que as convencionais. Apesar da cor amarela, o IRC de 70 garante uma boa visibilidade.

Em março, será concluída mais uma etapa deste processo de modernização do parque de iluminação, com a instalação da telegestão dos ativos de iluminação pública que utiliza o sistema de protocolo aberto da Celena, empresa especializada em projetos luminotécnicos e gestão de iluminação, para clientes corporativos e governo. Esta tecnologia permitirá o uso racional da energia e o mapeamento em tempo real do parque instalado, cujas funcionalidades incluem controle da intensidade luminosa e da vida útil das lâmpadas, dimerização das mesmas e contagem de tráfego.

A cidade turística, localizada no Vale do Paraíba foi escolhida como sede do projeto-piloto da Elektro por seu tamanho e população pequenos, o que facilita a interação, e pela visibilidade nacional decorrente do fato de São Luiz do Paraitinga ter tradição histórica e conciliar desenvolvimento tecnológico. Além de buscar maior eficiência no sistema de iluminação, o projeto ainda prevê a instalação de painéis solares para geração de energia em prédios públicos, de medidores inteligentes e veículos elétricos.


Tecnologia LED vai gerar mais de 70% de economia para a Frimesa

_C3A9006 copy smn

A Frimesa Cooperativa Central, indústria de alimentos presente há mais de 35 anos no Brasil, adotou a tecnologia LED da GE Lighting para aprimorar a luminosidade de quatro câmaras frias de estocagem de alimentos, com pé direito de 11,5 metros, instaladas em sua fábrica na cidade de Medianeira (PR), a 580 quilômetros de Curitiba. O objetivo foi encontrar uma solução ambientalmente amigável, com eficiência energética, grande fluxo luminoso, custo adequado e que atendesse às características intrínsecas à indústria alimentícia.

“Decidimos utilizar o LED porque sempre buscamos as tecnologias mais avançadas para os nossos processos. Fizemos diversos estudos luminotécnicos em parceria com a Eletronor, distribuidora de materiais elétricos em Curitiba, e percebemos que o melhor custo-benefício para essa área seria com a solução da GE Lighting”, comenta André Campregher, responsável pelo projeto de iluminação pela Frimesa. “Esperamos uma economia de aproximadamente 70% de energia por ano apenas nessas áreas”, complementa.

Antes do novo projeto, a empresa utilizava lâmpadas de vapor metálico de 400W feitas de vidro com uma proteção de policarbonato. Após algum tempo, ficavam foscas, oferecendo baixa luminosidade, com manutenções frequentes e difíceis. Além disso, a temperatura dessas lâmpadas era considerada muito alta para um ambiente refrigerado. O novo projeto contempla 168 luminárias Albeo de 125W, feitas de policarbonato em vez de vidro – evitando estilhaços em caso de queda. Elas também estão equipadas com um dissipador de calor.

As luminárias foram instaladas em quatro câmaras frias de áreas e temperaturas diferentes: uma com 2.173 metros quadrados e que opera com uma temperatura de 25 graus negativos; outra de 972 metros quadrados e que trabalha a 0 grau; a terceira com 806 metros quadrados e que é considerada uma câmara reversível (trabalha a menos 20 graus ou a zero grau); e a última que também é reversível e possui 793 metros quadrados.

“Foi um projeto desafiador, mas conseguimos atenter todas as necessidades do cliente. As luminárias em policarbonato possuem alta luminosidade e são muito eficientes, com baixa manutenção e custo adequado. A cada dia vemos como a indústria nacional avança na adoção de alta tecnologia para melhorar sua produtividade. Sem dúvida a iluminação é um fator critico para otimizar os ambientes industriais”, comenta Alexandre Ferrari, gerente geral da GE Lighting no Brasil.

Com vida útil de 50 mil horas, o LED pode permanecer em operação por um período total de até 11 anos, se consideradas 12 horas de uso diário, o que ajuda a reduzir significativamente a manutenção frequente e as despesas. “A redução do consumo de energia e dos custos de manutenção junto com a possibilidade de atender as necessidades de sustentabilidade das indústrias tornam a possibilidade de retrofit muito atrativa para as empresas”, comenta Ferrari. “Com o aumento dessa atratividade pela tecnologia LED, esperamos um crescimento médio de mercado no setor industrial de 70% para os próximos três anos” complementa.


« Previous Entries Next Entries »

Powered by Wordpress | Designed by Elegant Themes