Publicada Portaria que regulamenta a qualidade de lâmpadas LED

A regulamentação tem como meta estabelecer níveis mínimos de eficiência energética e segurança.

Foi publicada no mês de agosto de 2014, no Diário Oficial da União (DOU), a Portaria nº 389 referente ao Regulamento Técnico de Qualidade (RTQ) das lâmpadas LED, que tem como meta definir os requisitos que devem ser atendidos pelas lâmpadas LED e, desse modo, obter o máximo de eficiência energética, segurança e compatibilidade eletromagnética. Fazem parte da Portaria, as lâmpadas com potência nominal até 60W, tensão maior que 50V e até 250V, lâmpada LED tubular (tubo LED), entre outras.

Essa regulamentação se aplica às lâmpadas com dispositivo de controle integrado à base ou corpo, constituindo uma peça única não destacável destinadas para operação em rede de distribuição de corrente alternada de 60Hz, para tensões nominais de 127-220V, ou faixas de tensão que englobem as mesmas ou em corrente contínua (DC ou CC), com proteção contra surto, tensão de alimentação até 250V, prevista para uso doméstico e similar.

Lâmpadas com LED coloridos, RGB, lâmpadas de LED com dispositivo de controle incorporado que produzem intencionalmente luz colorida e OLED (Organic Light Emitting Diode) não estão englobadas no Regulamento.

Mais informações: http://www.abilux.com.br/


Tecnologia de telegestão tem protocolo aberto para agregar serviços

Solução pode integrar iluminação a câmeras de segurança e carregadores para celulares e carros elétricos

Sistema de telegestão lançado pela Celena dá destaque à versatilidade. Além de acoplar iluminação, é possível também adicionar outros serviços, como placas solares, carregadores para celulares e carros elétricos, sensores de fumaça, câmeras de segurança, entre outros.

O que abre o leque de possibilidades é o protocolo de comunicação aberto, sistema exclusivo da empresa, que permite introduzir suporte a outras tecnologias. Segundo Ricardo Cricci, diretor da Celena, “o conceito funciona com controladores de mais de 60 empresas no mundo e é possível agregar infinitos serviços com um hardware otimizado, com encriptação e protocolos de segurança”.

Mais conhecida na iluminação pública, a interface de telegestão pode ser aplicada em infinitos locais onde se deseja monitoramento, pois pode ser personalizada a diversos níveis para atender variadas necessidades. O sistema permite um mapeamento da infraestrutura de iluminação em tempo real, tornando mais efetivo o controle sobre a durabilidade das lâmpadas, qualidade e perda de fluxo luminoso para garantir a qualidade luminotécnica e a economia prevista em projeto. O executivo da empresa explica que o software específico que gerencia o sistema pode controlar individualmente ou em grupos o acionamento e a intensidade luminosa de cada luminária. “Com este tipo de controle somente consumimos energia quando realmente necessário e podemos ir dosando aos poucos a quantidade de luz ideal para o local a cada momento, conseguindo o máximo de eficiência e economia”, afirma.

Quanto às luminárias suportadas, a tecnologia LED é ideal pela qualidade da luz, economia e versatilidade, porém é possível aplicar o sistema com lâmpadas de vapor metálico e de sódio. É possível geri-las em grupos ou individualmente com configurações adaptadas a suas funções.

A redução de custos, o controle e monitoramento das tecnologias são os principais benefícios da telegestão. Para que a solução seja oferecida com a maior eficácia, a Celena oferece estudos detalhados dos projetos. “É a iluminação na era digital”, finaliza Cricci.

Sobre a Celena

A Celena é uma empresa de projetos de iluminação e soluções em LED, situada em São Paulo, voltada para atender clientes corporativos de todos os segmentos que precisam aliar economia de energia com baixa manutenção e, que traz inteligência ao sistema de gestão em iluminação pública.


Intral apresenta luminária Nácar no 17º Congresso de Revendedores de Combustíveis

Concebida com tecnologia LED e conceito Engine, luminária foi projetada para atender com eficiência e alta performance o segmento de postos de combustíveis.


Vislumbrando grande potencial para a aplicação da tecnologia LED na iluminação de postos de combustíveis e tendo como foco oferecer soluções inovadoras em iluminação comercial e industrial, a Intral participa do 17° Congresso Nacional e Latino-Americano de Revendedores de Combustíveis, que acontece entre os dias 25 e 28 de setembro, no Serrano Resort Convenções & SPA, em Gramado (RS). O encontro reúne as principais novidades do mercado varejista de combustíveis ? incluindo novos produtos, avanços tecnológicos e tendências nacionais e internacionais para o segmento.

Em seu estande nº 24, a Intral, com 64 de tradição e expertise no setor de iluminação, apresenta a luminária Nácar, solução específica para atender o segmento de postos de combustíveis. Desenvolvida em LED, a luminária oferece alta eficiência energética sem aquecer o ambiente e nem emitir radiação ultravioleta. O uso de lentes específicas permite uma melhor distribuição fotométrica, com a possibilidade de adequar o foco da luz para a pista ou para as bombas de combustíveis.

A expectativa de vida da luminária Nácar é de 70 mil horas, sem necessidade de manutenção dos componentes elétricos. O corpo da Nácar é fabricado em chapa de aço tratada e pintada, e os dissipadores em alumínio extrusado 100% reciclável. Com design e desenvolvimento 100% nacionais, a luminária tem temperatura de cor branco frio.

A Nácar é projetada com tecnologia LED a partir do conceito Engine, que consiste em um conjunto individual e independente de LEDs formado por um módulo de lentes, uma placa de circuito impresso com os LEDs conectados, dissipador e conexão elétrica. Esse conjunto independente é vedado e apresenta proteção contra intempéries grau Ip65.

O produto oferece cinco anos de garantia. Mais informações sobre o congresso no site do evento: www.congressorevendedor.com.br


Inmetro publica portaria que define critérios de qualidade para lâmpadas de LED comercializadas no País, medida que beneficia toda a cadeia produtiva

Por Gilberto Grosso*

A eficiência energética é, cada vez mais, um tema em debate e uma necessidade para os tempos atuais e futuros, seja por questões ambientais ou econômicas. Os últimos avanços tecnológicos do mercado de iluminação são os chamados LED (light emitting diode, ou diodo emissor de luz), que têm despertado o interesse das pessoas na hora de substituir lâmpadas e equipamentos, dados os benefícios oferecidos por esses produtos.

Sem dúvida, os LEDs trazem uma série de vantagens. Quando comparados a outros tipos de lâmpadas, economizam até 88% de energia elétrica; não aquecem o ambiente; duram até 25 vezes mais do que lâmpadas comuns e têm menor custo de manutenção.

No entanto, o consumidor encontra no mercado dezenas de marcas, cuja qualidade nem sempre é garantida. O primeiro balizador é o preço praticado na ponta, bastante diferente para produtos visualmente muito parecidos. Isto dificulta a escolha, levando-o, muitas vezes, a adquirir um item que não atenderá às suas expectativas.

A distância entre um LED de excelente qualidade e outro de péssima, porém, é gigantesca e não é percebida no ato da compra, nem mesmo por especialistas sem equipamentos adequados para testá-lo. Depois de uma compra errada, os problemas começam bem cedo, com queda abrupta da intensidade luminosa; queima precoce; queima ou baixa intensidade de luz de um ou outro diodo; perda da cor da luz emitida, entre outras degradações.

Estes fatos ocorrem porque ainda falta uma norma, em âmbito mundial, que defina os padrões mínimos de qualidade para estes produtos. No Brasil, no entanto, o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) publicou, em 25 de agosto, a Portaria 389, que regulamenta e determina especificações técnicas para todas as lâmpadas de LED vendidas no País, trazendo regras fundamentais para comercialização dessa tecnologia.

A portaria dispõe sobre as condições técnicas, como requisitos mínimos de eficiência, vida útil, segurança, índice de cores, produtos cobertos pela regulamentação, entre outros critérios, isto é, os níveis de qualidade para praticamente todas as lâmpadas de LED, independentemente do modelo, formato ou tipo de soquete ou base.

Este é um grande passo para a regularização do segmento, que sofre a concorrência predatória de inúmeros produtos importados sem nenhum compromisso com a qualidade, segurança ou com o desenvolvimento do setor. Com a portaria, ganha toda a cadeia produtiva: as indústrias já em conformidade, que concorrem em níveis de igualdade; comerciantes, que podem oferecer lâmpadas LED adequadas à legislação; e consumidores, que têm a certeza de adquirir um produto de qualidade assegurada. Vale lembrar que fabricantes e revendedores são corresponsáveis quanto à oferta de produtos fora de normas.

O Brasil é um mercado de grande potencial neste segmento, o que atrai quem só visa o lucro financeiro. O parque de iluminação brasileiro é da ordem de 550 milhões de lâmpadas anuais – entre residenciais, comerciais, industriais e iluminação pública. São mais de 250 milhões de incandescentes, que migrarão para novas tecnologias. Para se ter ideia, a expectativa da Abilumi (Associação Brasileira dos Importadores de Produtos de Iluminação) é de crescimento anual acima de 100% do mercado de LED – em 2013, estimado em 17 milhões de unidades vendidas.

Neste cenário, com a Portaria 389, já é possível vislumbrar um futuro mais seguro e assertivo para o mercado e os produtos de LED, que só tendem a crescer, com melhor desempenho e menores custos. Aos revendedores e consumidores, é lembrar que preço baixo, muitas vezes, significa produto feito sem controle e com componentes de baixa qualidade, colocando em risco instalações e pessoas.

* Gilberto Grosso é Lighting Professional com ampla experiência na área de iluminação e CEO da Avant, referência nacional em soluções para iluminação.


Acordo para logística reversa de lâmpadas entrará em consulta pública

Estará aberto a partir do dia 15 de setembro de 2014, a consulta pública sobre a proposta do acordo setorial para a implantação da logística reversa de lâmpadas fluorescentes, vapor de sódio e mercúrio e de luz mista. O procedimento foi definido pelo Comitê Orientador para implantação de Sistemas de Logística em sua Deliberação no 1, de 21 de maio de 2012, publicada no Diário Oficial da União de 23 de maio de 2012 e na reunião realizada em 1o de julho de 2014.

As contribuições e sugestões fundamentadas e devidamente identificadas deverão ser encaminhadas por meio do formulário eletrônico disponível no endereço www.governoeletronico.gov.br, no período de 15 de setembro de 2014 até o dia 15 de outubro de 2014 (30 dias).


Site da Avant tem novo endereço

Empresa lança site com design mais moderno e interativo, numa iniciativa para fortalecer sua comunicação on-line com revendedores, especificadores e clientes.

Com novo endereço (www.avantled.com.br) e design mais moderno e interativo, a Avant, empresa brasileira que há 16 anos produz lâmpadas e luminárias de qualidade, lança o seu novo site, numa iniciativa para fortalecer sua comunicação on-line. O site tem como objetivo disponibilizar novas informações sobre a companhia e seus produtos e facilitar a navegação e consultas de clientes, revendedores e especificadores.

Visualmente, o layout desenvolvido para o site da Avant ocupa toda a área do monitor, ampliando o espaço focal e arejando a página. Tecnicamente, a preocupação foi oferecer um site funcional também em dispositivos móveis, como smartphones e tablets. Pela nova versão, pode ser navegado em sete idiomas à escolha do usuário, ante o anterior que era acessível apenas em português e inglês.

“Ao desenvolver o novo site, nossa intenção foi mantê-lo atualizado com as novas facilidades tecnológicas e oferecer ao internauta um design mais moderno, já que o antigo site existia há dois anos e estava limitado a uma estrutura considerada obsoleta”, explica Gilberto Grosso, CEO da Avant. “Agora o site é atualizado diariamente com novos conteúdos, além de oferecer acesso com uma velocidade dez vezes maior.”

Difusão de informações

Entre as vantagens tecnológicas para lojistas e especificadores estão os novos menus com informações mais amplas sobre os vários canais de atendimento da Avant, como o que atende às indústrias e construtoras, chamado de OEM/Corporativo e que almeja fortalecer o elo entre a empresa e seus clientes.

A página de produtos também sofreu grande interferência estética e qualitativa. Agora, um menu dividido entre os portfólios LED, Tradicional e Luminárias traz imagens de cada produto, facilitando a consulta do usuário. Clicando sobre a imagem escolhida terá acesso à ficha técnica do produto, assim como a sua versão para impressão, item incluído para agilizar a especificação nos projetos dos profissionais do setor.

O novo site ganhou ainda o link “Notícias”, um canal para jornalistas, com todos os textos sobre lançamentos de produtos, serviços, parcerias, etc., prontos para o acesso das redações dos veículos de comunicação de todo o Brasil.

Mas o principal diferencial deverá ser o ícone Lighting Center, onde o usuário poderá consultar a grade de cursos da Avant, bem como se inscrever em treinamentos de iluminação que serão oferecidos a partir do mês de outubro. Também estão previstos cursos online abertos ao público em geral a partir de dezembro e vídeos que difundirão informações, novidades e produtos ligados à iluminação. “O usuário terá mais disponibilidade, de forma moderna e animada, para entender o maravilhoso mundo da iluminação, desmistificando a complexidade que parece existir em tudo relacionado à luz e suas aplicações”, avalia Grosso.

Além do site, a Avant também está presente no Facebook, onde divulga curiosidades sobre o mundo da iluminação, dicas para utilizar melhor este recurso, além de abordar temas relacionados à sustentabilidade. Para conhecer acesse: www.facebook.com/AvantLighting.


« Previous Entries Next Entries »

Powered by Wordpress | Designed by Elegant Themes