Rio terá até 2016 iluminação pública feita por lâmpadas de LED

Vladimir Platonow

Rio de Janeiro – A capital fluminense terá até 2016 toda a iluminação pública com base na tecnologia  LED (diodo emissor de luz – light emmiting diode ), 40% mais econômica que o sistema atual e com mais tempo de durabilidade. O anúncio foi feito hoje (25), durante assinatura de um acordo para promoção de economia sustentável entre diversos órgãos públicos, prefeituras e empresas com a organização não governamental (ONG) R20, do ator e ex-governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger.

A R20 é dedicada a promover projetos de desenvolvimento de baixa emissão de carbono e patrocina estudos de viabilidade de iluminação pública para diversas cidades no mundo. O Rio foi representado pelo secretário de Conservação, Marcus Belchior, responsável pelo serviço de iluminação pública do município.

“Hoje já tem LED na cidade, basicamente em pontos turísticos. No Cristo Redentor, na Lagoa Rodrigo de Freitas e no Parque Madureira, que é extremamente sustentável. Inegavelmente a tecnologia LED consome menos energia que as lâmpadas convencionais”, disse o secretário. Segundo técnicos da secretaria, uma lâmpada de vapor de sódio, que gera iluminação amarelada, dura de três a quatro anos. Uma de LED, que gera luz branca, dura de oito a dez anos. A troca diminuirá o custo com manutenção elétrica na cidade, que conta com 430 mil pontos públicos de luz.

O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, anunciou que a Ponte Rio-Niterói será iluminada por lâmpadas de LED até o final do próximo ano. “Um dos símbolos da adesão do Rio à R20 é que vamos colocar lâmpadas led em toda a extensão da Ponte Rio-Niterói, para receber autoridades e desportistas com este símbolo da união entre as duas cidades”, disse o secretário.

Schwarzenegger destacou que o objetivo de sua organização é incentivar soluções ecológicas e mostrar que as iniciativas partem do cidadão, das empresas e das universidades, sem necessariamente depender do poder central. O ator que governou a Califórnia entre 2003 e 2011 disse que o estado é um dos precursores em energias limpas nos Estados Unidos. Ele defendeu o uso do carro elétrico e os veículos movidos por células de hidrogênio, como forma de contribuir para reduzir as emissões de gases que provocam o aquecimento global.

“A Califórnia sempre esteve na vanguarda no uso de veículos de combustíveis alternativos. Qualquer tipo de energia que não seja combustível fóssil é bem-vinda. Os carros elétricos são atualmente muito populares, mas também estamos construindo uma rodovia do hidrogênio, onde instalamos a cada 20 milhas [32 quilômetros] um posto de hidrogênio. O programa ainda não está finalizado, mas o objetivo é poder rodar toda a Califórnia usando um carro movido a hidrogênio”, declarou Schwarzenegger.

Fonte: Agência Brasil


Philips participa de Encontro dos Municípios com Desenvolvimento Sustentável e mostra os benefícios da iluminação LED

Brasília, Brasil – A Philips, empresa líder global em saúde e bem-estar, discute, durante o II Encontro dos Municípios com Desenvolvimento Sustentável (EMDS) – evento que reúne prefeitos e representantes de todos os municípios do Brasil -  os benefícios sociais, ambientais e econômicos da iluminação LED para as cidades. O encontro será realizado de 23 a 25 de abril, no Centro de Convenções Brasil 21, em Brasília.

A iluminação é responsável hoje por 19% do consumo mundial de eletricidade e cerca de 6% das emissões globais de gases de efeito estufa. Aliado a isso, o mundo passa por um processo de rápida urbanização – 50% da população mundial vive em cidades, número que chegará a 70% até 2050, cerca de três bilhões de habitantes a mais nos centros urbanos até 2050 -, que impactará ainda mais o consumo de energia. A Philips estima que até 2020 o consumo no Brasil, que já tem 40% da iluminação pública ineficiente, deva dobrar. A iluminação de um terço das ruas do mundo todo ainda depende de tecnologias empregadas nos anos 1960.

A partir de 2014, a administração da iluminação pública passa a ser dos municípios e a Philips tem toda a base tecnológica para impulsionar uma mudança de patamar de iluminação, podendo gerar receitas adicionais ao município por meio de redução de linhas de custeio operacional.

“A troca para as mais inovadoras soluções em eficiência energética de iluminação LED proporciona economia significativa de energia e uma redução nas emissões de CO2, bem como a transformação de ambientes urbanos aumentando a sensação de segurança da população. Acreditamos que, liderando essa transição no mercado de iluminação com soluções de LED criaremos cidades habitáveis ​​para o benefício dos moradores e visitantes,” comenta Flávio Guimarães, diretor de Vendas da área de iluminação da Philips.

Segundo estudos do The UNEP en.lighten, no Brasil, se toda a iluminação do país fosse substituída por soluções LED, seria possível alcançar uma economia com custo de energia de USD$ 3,2 bilhões, 5,6% do total do consumo nacional de energia ou 34,7% do consumo de eletricidade com iluminação. Ainda teríamos o benefício climático de reduzir 1,7 milhão de toneladas na emissão anual de CO2.

Benefícios para as cidades

O uso de LED pode gerar economias de energia de até 85% para as prefeituras, além de diminuir os custos de manutenção, pois cada lâmpada dura, em média, 25 anos. As lâmpadas LED ajudam também a reduzir a chance de haver racionamento, já que esta tecnologia de iluminação é de alta eficiência energética. A tecnologia traz ainda benefícios sociais por tornarem as cidades mais seguras.

O LED associado a controles de iluminação ajudam as prefeituras a gerenciar o consumo de energia e ainda oferecer segurança. Produtos dimerizáveis e controles podem ajudar as prefeituras a terem melhor resultado com a nova iluminação, como o CityTouch da Philips, que permite a centralização do comando da iluminação, melhorando sua eficiência energética e manutenção. Ele torna a iluminação pública “inteligente”, responde a comandos à distância e emite relatórios e alarmes, conforme situações que ocorram no local. O acendimento das lâmpadas pode ser controlado por meio de um computador conectado à internet. No Brasil, um projeto instalado em São Paulo já utiliza esta tecnologia.

Os relatórios de tempo de utilização das lâmpadas ajudam no monitoramento da vida útil, contribuindo para a programação de compras de lâmpadas e de reatores para reposição. O telegerenciamento da rede de iluminação pública também permite que o órgão responsável tenha acesso ao status de cada lâmpada, com informações de tempo de acendimento, análises de tensão, intensidade de luz, controle de acionamento e desligamento por tempo, entre outras facilidades que podem ser programadas no sistema.


Sede do Rio 2016™ adota soluções GE

Crédito: Alex Ferrero

A GE, patrocinadora oficial do Comitê Olímpico Internacional (COI), é fornecedora de uma gama de soluções energeticamente eficientes e de baixo impacto ambiental para a nova sede do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016™, recém-inaugurada na Cidade Nova, no Rio de Janeiro. Tecnologias de ponta para iluminação, segurança energética e distribuição elétrica ajudam a tornar o projeto, que comportará dois mil funcionários até 2016, uma referência na busca por soluções mais sustentáveis por meio do esporte. Por se tratar de uma construção modular, todos os equipamentos permanecerão disponíveis para uso futuro.

“A GE é um patrocinador que está empenhado em ajudar o Rio de Janeiro a sediar os mais sustentáveis Jogos Olímpicos da história. Nós colocamos nossa experiência à disposição do Rio 2016™ e do COI para criar e viabilizar soluções tecnológicas inovadoras que sejam modernas e, ao mesmo tempo, gerem benefícios tangíveis aos clientes e à sociedade como um todo, além de ampliar o legado para a cidade”, afirma Daniel Meniuk, diretor executivo para Cidades e Infraestrutura da GE no Brasil.

A GE forneceu aproximadamente três mil unidades da luminária LED Lumination™, em sua versão troffer, para iluminar a sede do Rio 2016™, o primeiro prédio comercial no Brasil a adotar esse produto. A utilização da luminária LED Lumination™, recém-lançada no mercado brasileiro, vai permitir uma economia de cerca de R$ 1 milhão na conta de energia durante os quatro anos de operação do edifício, em relação a opções com tecnologia fluorescente. Além disso, nesse período, os custos de manutenção serão praticamente nulos, já que a solução tem vida útil de 11 anos, aproximadamente 120% superior às lâmpadas fluorescentes convencionais, que duram até cinco anos.

O Rio 2016™, com o apoio da GE, optou pela tecnologia LED por ser mais sustentável e gerar baixa emissão de carbono. O design inovador das luminárias da família Lumination™ permite maior uniformidade da luz e a sensação de maior amplitude do ambiente com menos pontos de iluminação. A solução também permite controlar a intensidade da luz durante o dia. Tudo isso contribui para a maior produtividade e a sensação de bem-estar dos funcionários e visitantes.

Abastecimento e distribuição

A GE também forneceu e instalou 25 unidades de sistemas UPS (Uninterruptible Power Supply), conhecidos como No Breaks, adequados para uma instalação comercial de grande porte e que requer alta confiabilidade no suprimento de energia elétrica. O sistema, desenvolvido pela GE Digital Energy, garante o abastecimento de energia por 10 minutos em caso de falhas, enquanto ocorre o acionamento dos geradores, impedindo a interrupção dos trabalhos na sede do Rio 2016™. A edificação também recebeu componentes para a distribuição elétrica interna, incluindo disjuntores, relés, plugs e outros equipamentos do portfólio da GE Industrial Solutions.

Tanto as luminárias LED da família Lumination™ como os UPS’s fazem parte da plataforma de negócios Ecomagination, desenvolvida pela GE para oferecer soluções para os desafios de eficiência no uso de energia e água, ao mesmo tempo em que gera valor para clientes, investidores e a sociedade.


Casa Daros Latinoamérica

Localizada em imponente edifício histórico em Botafogo, a recém inaugurada Casa Daros abriga uma das mais importantes coleções de arte contemporânea latinoamericana. O processo de restauro e adaptação do edifício foi longo, mas o resultado impressiona pelo cuidado no desenho e em sua execução. Para conversar sobre esta empreitada, o Studio-X recebe os arquitetos Ernani Freire e Isabel Ballesté, responsáveis pela arquitetura; Regina Pontin de Mattos, especialista em restauração; e o engenheiro civil Geraldo Filizola, que cuidou das questões estruturais.

Sobre os participantes
Ernani Freire
Arquiteto, graduado pela FAU/UFRJ em 1971
Titular do Escritório Ernani Freire Arquitetos Associados Ltda.
Tem elaborado e desenvolvido estudos e projetos para fins diversos e atuado intensamente na área de conservação e requalificação de edifícios e conjuntos de valor histórico e arquitetônico,
com diversos trabalhos premiados.
Exerce atividade acadêmica como professor de projeto no Curso de Arquitetura e Urbanismo da PUC/Rio, cadeira de Revitalização e Reutilização.
Isabel Ballesté
Arquiteta e urbanista, graduada pela FAU/UFRJ em 1984
Especialização em Arquitetura de Equipamentos Culturais na École d’Architecture Paris-Villemin, em Paris, em 1988.
Trabalhou em Paris em colaboração com o arquiteto Didier Drummond entre 1989 e 1992 desenvolvendo diversos projetos, dentre eles o Quartier-Piétonnier Montorgueil-Saint-Dénis.
Sócia do Escritório Ernani Freire Arquitetos Associados Ltda. desde 2008, atua na elaboração, desenvolvimento e coordenação dos diversos projetos do Escritório, sobretudo na área cultural.
Geraldo Filizola
Engenheiro Civil, com especialidade em estruturas, formado em 1972 pela PUC/Rio.
Sócio diretor da Cerne Engenharia e Projetos, vem desenvolvendo projetos na área de estruturas históricas desde 1985. Dentre os trabalhos participou da reforma do Theatro Municipal e do Museu de Arte do Rio (MAR).
Monica Lobo
Arquiteta formada pela Universidade Santa Ursula, começou a trabalhar no universo da iluminação no escritório de consultoria Esther Stiller & Gilberto Franco em 1988. Em1997 fundou a LD Studio onde passou a desenvolver projetos de iluminação de arquitetura, atuando de forma expressiva em edifícios históricos. Atualmente desenvolve projetos como Museu do Amanhã (Santiago Calatrava), Museu da Imagem e do Som  Diller & Scofideo + Renfro), Biblioteca Nacional entre outros.
Regina Pontin de Mattos
Arquiteta restauradora graduada pela PUC/Campinas e doutorada pela Universidade de
Roma La Sapienza. Foi diretora-geral do INEPAC, onde permanece como assessora e membro do Conselho Estadual de Tombamento. Trabalhou no CONDEPHAT em São Paulo e no Rio

Philips lança curso e certificação sobre LED em português

São Paulo, Brasil – A Philips do Brasil, empresa líder global em saúde e bem-estar, anuncia o lançamento de um curso online gratuito de certificação profissional sobre LED, em português, com objetivo de mostrar os benefícios e vantagens desta tecnologia e possibilidades de uso.

Após realizar o curso pela internet, o participante tem o tempo limite de dez minutos para realizar um teste. Se atingir a nota mínima de 80%, ele receberá o certificado digital, que possui validade de um ano e será enviado pelo Lighting University Global, no prazo de dez dias úteis. A certificação garantirá que o profissional tem conhecimentos sobre o que são LEDs, onde são usados, as vantagens da utilização e o valor agregado dos LEDs Philips.

O curso em português está disponível para certificação de qualquer pessoa no site da Philips, e pode ser acessado pelo link abaixo:

http://www.lighting.philips.com/main/connect/Lighting_University/LED-passport.wpd


Eaton Tech Day apresenta soluções em eletricidade e iluminação

A Eaton promoveu em São Paulo o Eaton Tech Day, evento que contou com palestras de especialistas em eletricidade e iluminação e apresentou produtos e soluções da empresa. A palestra “Energia Incidente e Riscos do Arco Elétrico: Avaliação do Problema e Soluções para Redução dos Níveis de Energia Incidente em Painéis Elétricos” foi ministrada por Luciano Lima Dias, engenheiro da divisão de estudos elétricos da Eaton.

Luciano falou da importância dos estudos de sistema de potência para promover melhorias nos procedimentos de energia elétrica. “Para minimizar riscos é preciso boa práticas de segurança. Isto é possível através de treinamento e manutenção”, afirmou.

Na palestra “Aumentando a Segurança na Escolha do seu dispositivo de proteção”, foi apresentada por Eduardo Sakanoue, engenheiro de produtos da Cooper Bussmann. Ele falou sobre a aplicação e funcionamento de fusíveis.

A apresentação “Conceitos e Aplicações de Iluminação LED e sua contribuição para a Certificação LEED” foi realizada por Fabio Avellar, gerente de vendas da Eaton Cooper Lighting. Ele apresentou o case da sede do USGBC – United States Green Building Council, responsável pela certificação LEED. A sede da instituição foi toda iluminada com lâmpadas da Eaton Cooper Lighting.

A palestra “Iluminação LED nas instalações industriais” teve a apresentação de Augusto Trilha, gerente de marketing e distribuição da Cooper Crouse-Hinds, e Gunnar Barcelo Reis, engenheiro da mesma empresa.

Na palestra foram abordadas as vantagens da aplicação de LED em ambientes industriais e foram apresentados estudos de caso da Braskem e da Petrobrás, empresas que utilizaram equipamentos da Crouse-Hinds em suas instalações.

O evento contou com um showroom das soluções da Eaton em eletricidade e iluminação. Entre os produtos apresentados estavam a linha de no-breaks da Eaton e a VTS Ventus LED, luminária pública da Cooper Lighting.

Jornal da Instalação


« Previous Entries Next Entries »

Powered by Wordpress | Designed by Elegant Themes