1.200 lâmpadas piscam em Lisboa

Instalação em centro luso leva à introspecção

  (Foto: FG + SG)

Uma celebração de luz interativa que instiga o espectador a uma auto-reflexão. E também uma chamativa forma de anunciar um produto novo. Esse foi o resultado de uma parceria entre a gigante dos móveis Ikea e o estúdio português Like Architects para lançar ao público a Ledare, nova lâmpada LED da marca sueca. O local escolhido para abrigar a instalação temporária foi o Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

  (Foto: FG + SG)

O convite por parte da Ikea veio depois que o escritório português idealizou montagens criativas mesclando componentes da marca. Com o intuito de criar um labirinto incandescente, a instalação batizada de LEDscape trouxe 1.200 lâmpadas Ledare, de baixa energia, junto com 1.200 bases pretas Hemma de diferentes alturas. As bases foram posicionadas de forma a criar uma passagem dentro da estrutura e as lâmpadas programadas para brilhar de forma oscilante em ritmos independentes. A obra caiu no gosto dos frequentadores do centro cultural.

Ao envolver os apreciadores em um jogo de luz no qual a percepção de espaço é constantemente alterada devido às mudanças nas milhares de lâmpadas, os criadores convidavam cada um a depreender uma interpretação própria da obra. A compreender a luz como um elemento espacial e a explorar um panorama vibrante que, com sua delicada incandescência, solicita profundas introspecções.

  (Foto: FG + SG)
  (Foto: FG + SG)
  (Foto: FG + SG)
  (Foto: FG + SG)
  (Foto: FG + SG)
  (Foto: FG + SG)
  (Foto: FG + SG)
  (Foto: FG + SG)
  (Foto: FG + SG)
  (Foto: FG + SG)

Golden prevê crescimento de 50% no mercado de lâmpadas LED

Apesar da grande concorrência, divisão de negócios cresceu 30% em 2012

A grande aposta da Lâmpadas Golden para 2013 é o mercado de fontes de luz  LED. Com meta de crescimento da ordem de 50%, a empresa de iluminação está preparada para este grande salto.

Com uma divisão de negócios focada exclusivamente ao mercado de LED, a Golden diversificou seu portfolio de produtos e forma de comercialização para atender tanto a demanda de consumidores finais como de grandes aplicadores.

Apesar da grande competitividade no segmento marcada pela presença de novas marcas e concorrência mais agressiva, a empresa conquistou em 2012 um crescimento de 30% em iluminação LED.  Foi avaliada como a segunda marca mais vendida na categoria lâmpada LED formato bulbo e spot e quarta no quesito tubular, segundo pesquisa realizada pela revista Eletricidade Moderna, feita junto a revendedores de materiais elétricos de todo o país.

Para 2013 as novidades incluem diversificação da linha destinada ao mercado profissional, com modelos ainda mais eficientes na linha Extreme LED, e com mais opções de temperatura de cor. A empresa também deverá anunciar em breve parcerias com instituições financeiras para a criação de um canal direto de financiamento para o mercado profissional, além de aumentar o foco em licitação para ser mais competitiva em Iluminação Pública.

Na avaliação do diretor da divisão LED da Golden Ricardo Cricci, 2013 não será um ano fácil. “O risco de um racionamento de energia não favorece a indústria, pois tende a diminuir o consumo de lâmpada, visto que para o consumidor lâmpada queimada é sinal de economia”, afirma. O executivo alerta ainda para a necessidade de o governo acelerar a certificação do LED para fazer frente aos produtos de baixa qualidade que estão entrando no mercado e cujo preço baixo encontra receptividade do consumidor desinformado.

A indústria aposta na conscientização crescente de um comportamento sustentável do consumidor para alavancar as vendas em 2013, onde a diversificação tecnológica propiciada pelo LED se apresente como alternativa que une vantagem econômica e ambiental e valorização dos ambientes. Já para o mercado profissional, trata-se de disseminar a economia, durabilidade e facilidade de manutenção como diferencial competitivo proporcionado pelo LED.

O mercado de iluminação no ano que se encerrou não teve o desempenho esperado. Segundo o executivo da Golden a razão seria a acomodação do mercado. “Como a lâmpada compacta dura mais que a incandescente, num primeiro momento o crescimento foi gradual, mas o mercado acabou por travar em 2012 como reflexo desta troca feita anos atrás”, explica Cricci. Institucionalmente a meta da Golden é crescer 25% em 2013.

Fonte: Lâmpadas Golden


Curso On-Line de DIALux EVO

A nova ferramenta da Dial traz muitos novos recursos, como a visualização de transparência no CAD, a interação da luz entre salas, a construção do edifício todo, incluindo áreas internas e externas e muito mais.

O intuito do curso é apresentar essa nova ferramenta, sua interface e seus recursos, levando o aluno a se familiarizar com o programa de uma forma rápida, objetiva e prática, para que possa utilizá-lo de forma produtiva no seu dia a dia profissional.​

​

Carga horária
10 horas - 4 aulas de 2 horas e meia para o curso online

10 horas de aula para curso in company com programa a ser elaborado.



Publico alvo

Lighting designers, arquitetos, engenheiros, projetistas, designers de interiores, estudantes e outros profissionais ligados à área.​

Programa do curso​

- Introdução
- Situação do software no mercado mundial
- Principais características
- Análise comparativa
- Explanação sobre a relação do software e normas vigentes de iluminância de interiores
- Criação e dimensionamento de ambientes internos e externos
- Importação de arquivos CAD 2D (auxílio de construção)-
- Inserindo luminárias de arquivos externos
- Gerenciando bibliotecas de fabricantes
- Montagem e inserção de objetos, equipamentos e texturas
- Inserindo ferramentas de análise e leitura
- Iniciando a fase de cálculos.
- Análise por cor, por grid e por isoiluminância
- Extração de dados para análise
- Geração de relatórios e seleção de informações
- Renderização

Coordenador

Eder Ferreira, arquiteto formado pela Faculdade de arquitetura Mackenzie e titular do escritório LID Design de Iluminação, tem atuado na área de projetos luminotécnicos nos últimos 12 anos, trabalhando de maneira intensa em diversos softwares de cálculo e simulação voltados para iluminação, treinamentos de conceitos luminotécnicos em geral, desde o básico até as atuais tecnologias LED e soluções em iluminação para as mais diversificadas tipologias de arquitetura. Possui diversos cursos complementares na área e tem participado de seminários nacionais e internacionais sobre a matéria.​

Inscrições: http://www.lidld.com.br/#!dial4cadastro/cpkr


Vagalumes ajudam a tornar LEDs mais brilhantes

Vagalumes ajudam a tornar LEDs mais brilhantes

Ao coletar 50% mais fótons, a camada inspirada nos vagalumes permitiu aumentar a eficiência do LED em 1,5 vez. [Imagem: Nicolas Andr]

Estrutura óptica natural

O piscar suave dos vagalumes inspirou cientistas a inserir modificações em um LED que o tornaram uma vez e meia mais eficiente.

A equipe da Bélgica, França e Canadá estudou a estrutura interna das “lanternas” dos vagalumes, os órgãos do animal repletos de células bioluminescentes, que piscam durante os rituais de acasalamento.

Os cientistas identificaram um padrão inesperado de escamas irregulares que melhora o brilho das lanternas.

Eles então aplicaram esse conhecimento ao design de um LED, criando uma camada externa para o diodo emissor de luz que imita a estrutura natural identificada no vagalume.

Essa sobrecamada, que aumenta a extração de luz pelo LED em até 55%, poderá ser facilmente aplicada aos LEDs atualmente em fabricação.

Reflexão interna

Os vagalumes emitem luz através de uma reação química que ocorre em células especializadas, chamadas fotócitos. A luz vai para o exterior passando através de uma parte do exoesqueleto do inseto chamada cutícula.

A luz viaja através da cutícula mais lentamente do que se desloca através do ar, e esse descasamento faz com que uma parte da luz seja refletida de volta na lanterna, diminuindo o brilho.

Os LEDs apresentam essa mesma deficiência de reflexão interna, o que diminui seu brilho e sua eficiência.

Vagalumes ajudam a tornar LEDs mais brilhantes

Os cientistas criaram um revestimento que imita as escamas naturais do interior do exoesqueleto dos vagalumes. [Imagem: Bay et al./Optics Express]

Revestimento para brilhar mais

O que os pesquisadores descobriram é que a geometria da superfície das cutículas de alguns vagalumes ajuda a minimizar as reflexões internas, ou seja, mais luz escapa para chegar aos olhos dos potenciais parceiros.

Quando eles usaram simulações de computador para modelar como as estruturas afetam a transmissão da luz, descobriram que as bordas afiadas das escamas deixam passar mais luz.

Tudo foi confirmado experimentalmente com a criação de uma camada contendo saliências de cinco micrômetros de altura, posta sobre um LED de nitreto de gálio.

“O que é legal na nossa técnica é que é um processo fácil e não temos que desenvolver um novo LED. Com uns poucos passos adicionais podemos recobrir os diodos emissores de luz atuais,” disse Annick Bay, descobridora do fenômeno.

Fonte: Inovação Tecnológica


Avant dá dicas de segurança e cuidados para casa no período de férias

Avant aponta cuidados que irão garantir um período de férias sem sustos ou prejuízos.

Algumas dicas, se incorporadas ao dia-a-dia, podem economizar energia

Ao planejar uma viagem, muitas pessoas acreditam que apagar as luzes e desligar os aparelhos eletroeletrônicos seja o suficiente para evitar acidentes elétricos ou roubos, afinal a casa estará vazia. No entanto, o risco de uma sobretensão elétrica continua mesmo que os aparelhos não estejam em funcionamento. E em períodos de férias, roubos e furtos tornam-se mais frequentes.

A incidência de um raio, mesmo que não muito próxima da residência, provoca uma sobretensão que é propagada pela rede de distribuição de energia e chega aos equipamentos domésticos através dos cabos que ligam a instalação à rede pública. Essa sobretensão queima os aparelhos mais sensíveis, que estiverem ligados à tomada, mesmo que não estejam em funcionamento. Em casos críticos, a queima dos equipamentos pode provocar incêndios e se propagar para o restante do imóvel.

Desconectar os aparelhos eletroeletrônicos das tomadas antes de uma viagem, além de fundamental, traz a vantagem da economia de energia elétrica. Mesmo com a casa fechada, é comum geladeira, freezer, rádios-relógios e relógios de micro-ondas ficarem consumindo energia. Somam-se a estes itens os demais eletroeletrônicos que têm luzes de stand-by (a luz vermelha que indica que o produto está ligado), que também consomem energia.

O diretor comercial da Avant, Gilberto Grosso, lembra ainda que deixar uma lâmpada acesa como medida de segurança contra assaltos também consome energia desnecessariamente. O indicado nesta situação é instalar um temporizador, que pode ser programado para acender e apagar a lâmpada em uma determinada hora, racionalizando o uso da energia elétrica.

Questão de segurança

A Avant possui alguns produtos desenvolvidos especialmente para garantir a segurança do seu patrimônio:

O Temporizador Avant foi desenvolvido para ligar e desligar automaticamente aparelhos elétricos ou eletrônicos com horários programados. A programação no modelo analógico é de 15 minutos num intervalo máximo de 24 horas. No modelo digital podem ser feitas até oito programações em dias individuais ou conjunto de dias e horários, com intervalo de 1 minuto.

Indicado para ambientes de passagem, como halls e corredores, o Sensor de Presença Avant substitui interruptores convencionais e minuterias, ligando automaticamente e mantendo acesas as lâmpadas ao detectar movimentos através do sensor infravermelho. As luzes se apagam após um período determinado e sem movimentação.

Quanto à prevenção de roubos, o Alarme de Porta e Janela Avant é o melhor mecanismo de segurança patrimonial. Conectado à porta ou janela, ele dispara quando há arrombamento. Uma sirene interna no equipamento emite o sinal de alerta.

Fonte: Assessoria de Imprensa Avant


Tecnologia LED em prol da saúde

O sistema desenvolvido pela GE Iluminação pode curar recém-nascidos com icterícia em até oito horas

Divulgação/GE Iluminação

A tecnologia LED está cada vez mais presente no nosso dia-a-dia, na iluminação pública, por exemplo, e hoje, pode ser utilizado no tratamento de recém-nascidos com icterícia. O sistema de fototerapia LED desenvolvido pela GE Iluminação, causa menor impacto ao meio ambiente do que os equipamentos da mesma categoria que utilizam lâmpadas fluorescentes. As lâmpadas LED são capazes de curar os bebês com uma média de 7,6 horas de exposição. Já as lâmpadas fluorescentes atingem o mesmo resultado com 10,4 horas.

Cada vez mais, os hospitais utilizam equipamentos energeticamente eficientes como o sistema de fototerapia da GE. Enquanto as lâmpadas fluorescentes compactas podem ficar apenas três meses ligadas continuamente, as lâmpadas LED funcionam até 50 mil horas, o que significa quase seis anos.

Além disso, a GE adicionou ao equipamento um sistema ótico que dissipa a luz de uma forma uniforme sobre o bebê. O sistema de fototerapia LED da GE não desenvolve erupções cutâneas nos recém-nascidos, um problema comum causado nos pequenos que fazem tratamentos como esse.

Desde 2011, a Wipro GE, uma joint venture entre a GE e a indiana Wipro, vendeu 1.000 unidades de sistemas de fototerapia LED. Metade desses equipamentos estão nos hospitais da Índia, país onde 5% dos 25 milhões de recém-nascidos por ano desenvolvem icterícia, um amarelamento da pele e outros tecidos, comum em bebês neonatais. Se não tratada, a icterícia pode causar danos no cérebro, perda de audição e anomalias físicas.

Os produtos mencionados neste material podem estar sujeitos a regulamentação do governo e podem não estar disponíveis em todas as regiões. Seu embarque e efetiva comercialização só poderão ocorrer se o registro estiver aprovado no seu país.
Fonte: Jornal da Instalação


« Previous Entries Next Entries »

Powered by Wordpress | Designed by Elegant Themes