OnLight abre sua loja no RJ


Golden lança luz refletora Extreme LED AR 70

A iluminação decorativa já dispõe de mais um modelo de baixo consumo de energia na linha LED. Trata-se da Extreme LED AR 70 da Lâmpadas Golden com 6 W de potência, uma alternativa eficiente entre as lâmpadas refletoras.

A lâmpada indicada para uso decorativo, de destaque e complementar, para distâncias que não ultrapassem os 3 metros, é mais uma alternativa entre as refletoras e contribui para criar um efeito cênico à iluminação dos mais variados ambientes, ajudando a criar cenários diferentes através da luz. Com um ângulo de abertura de 35º, pode ser usada na valorização de detalhes sem que seja necessário usar uma gelatina, pois a lente de policarbonato e o dissipador de alumínio ajudam na distribuição do facho de luz, sem causar ofuscamento.

A lâmpada com sistema plug-in usa um soquete específico para encaixe com base BA15D, igual ao da halógena AR70.

Pode ser usada diretamente na rede com auxílio de um transformador ou driver AC/ DC de 12V, que é vendido separadamente.

Ao contrário da halógena, a AR70 Extreme LED não produz calor, não emite raio ultravioleta nem infravermelho, além de não conter metais pesados em sua composição.

O produto estará disponível no mercado a partir de abril. Para maiores informações contatar extremeled@lampadasgolden.com.br ou ligar para (11) 2122-6666 e falar com Elaine.

Dados técnicos:

IRC: 80

Vida mediana: 30 mil horas

Temperatura de cor: 3000 K

Tensão: 12V


Primeira turma para curso avançado de iluminação

A Golden abre inscrições para a primeira turma de 2013 do curso avançado de iluminação que acontece em 24 de junho. Iluminação Aplicada: Projetos e Conceitos com uso do software AGI 32é destinado a profissionais que já atuam na área e que desejam aprimorar seus conhecimentos técnicos.

O treinamento visa a preparação do participante para o desenvolvimento de projetos luminotécnicos, aprofundando conhecimento em conceitos de iluminação e capacitando na operação do software AGI32 (Advanced Graphical Interface for Lighting), destinado à elaboração e análise de projetos luminotécnicos, com poderosos recursos para cálculo e visualização.

O participante deve possuir conhecimentos básicos de produtos e conceitos de iluminação. O curso é indicado para arquiteto, engenheiro, lighting design, ou estudante destas três áreas e profissionais ligados diretamente a projetos de iluminação.

Sob coordenação do especialista em Iluminação e Design de Interiores, Leandro de Barros, o curso acontece no Centro de Treinamento da Lâmpadas Golden, das 9h00 às 17h00. As inscrições podem ser feitas no link: http://www.lampadasgolden.com.br/iluminacao-aplicada-projetos-e-conceitos-form.php

Inscrição

  • Taxa de inscrição: R$ 50,00, via depósito em conta corrente
  • Conta para depósito: 0061499-8 / Ag. 0475-8/ Bradesco/ LEUKOM Sistemas Informatizados para Iluminação Ltda
  • CNPJ: 08.247.955.0001-50
  • Obs.: A inscrição será efetivada após o envio do comprovante de pagamento. Este poderá ser enviado via e-mail (lbarros@lampadasgolden.com.br) ou via fax (0800 775 6250).
  • Endereço: Rua Visconde de Parnaíba, 2568 – Belenzinho São Paulo/SP – (a 300 metros da estação Bresser do metrô)

Sobre o Centro de Treinamento Golden

Com o objetivo de capacitar os profissionais do mercado, a Golden investe em seu Centro de Treinamento que busca o aprimoramento e o crescimento profissional de seus participantes. Através dele, a Golden se posiciona como uma empresa preocupada com a qualificação de profissionais, o fomento de informação e a disseminação de conhecimento.

Voltados para arquitetos, engenheiros, técnicos, promotores de vendas, vendedores, balconistas, consumidores e projetistas, entre outros, os cursos da Golden têm como compromisso levar informações sobre o mercado de iluminação, tendências e novas tecnologias, a fim de permitir que os profissionais da área exerçam suas funções de forma cada vez mais eficiente e eficaz.

O Centro de Treinamento da Golden, criado em 2008, é referência na capacitação de profissionais que atuam na área de iluminação. Mais de 12 mil pessoas já passaram pelos cursos presenciais da Golden por todo o país.

A maioria dos cursos é gratuita e é solicitado que as pessoas levem 1 kg de alimento, que é sempre destinado à comunidade carente. O alimento arrecadado em 2012 foi destinado à comunidade beneficiada pela Paróquia de Nossa Senhora Aparecida, em Guarulhos.


Eficiência mínima das lâmpadas incandescentes de uso geral

Produtos que não atingirem, até 2016, o requisito mínimo serão banidas do mercado conforme prazo da Portaria
Clipping/Abilux

SXC.hu

A Portaria Interministerial nº 1.007 dos Ministérios de Minas e Energia (MME), da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (MDIC), publicada em dezembro de 2010, estabeleceu índices mínimos de eficiência luminosa para fabricação, importação e comercialização de lâmpadas incandescentes de uso geral no País. As lâmpadas que não atingirem, até 2016, a eficiência mínima definida serão banidas do mercado de acordo com cronograma estabelecido pela Portaria.

Alternativas às lâmpadas incandescentes

Com a eficiência mínima exigida das lâmpadas incandescentes de uso geral do mercado, as incandescentes comuns podem ser substituídas por lâmpadas fluorescentes compactas, lâmpadas incandescentes halógenas e lâmpadas a LED. Outra alternativa é trocar o soquete de rosca e instalar conjuntos (luminárias e fontes de luz) mais eficientes como, por exemplo, luminárias com lâmpadas fluorescentes tubulares ou compactas e luminárias LED.

Com as substituições haverá ganhos para os consumidores que pagarão menos na conta de luz. Na substituição, por exemplo, de uma lâmpada incandescente de 100W por uma fluorescente compacta de 23W, a economia é de cerca de R$30,00 em mil horas de utilização ou aproximadamente um ano.

A conversão de energia elétrica em luz e calor tem valores diferentes conforme a tecnologia: lâmpadas incandescentes 5% luz e 95% calor; fluorescentes compactas 15% luz e 85% calor e; LED 30% luz e 70% calor.

O meio ambiente ganhará com a menor produção de calor, de CO² e, portanto, de efeito estufa. Já o País, leva a vantagem de economizar recursos para gerar e transmitir energia. Argentina, Japão, Cuba, Comunidade Europeia, Austrália e Nova Zelândia já concluíram os seus programas. Os EUA concluirão em 2014. Japão e a China estão incentivando a passagem das lâmpadas incandescentes diretamente para lâmpadas LED.

Fonte: Jornal da Instalação


Semana de Treinamentos Integrados

Com o sucesso da Semana de Treinamentos Integrados que aconteceu entre os dias 3 e 7 de junho estamos adiantando as inscrições para a próxima semana de treinamentos que acontecerá julho, no nosso Centro de Treinamento criado em parceria com a Lutron Brasil.

Ao total serão ensinadas 10 soluções para projetos de automação residencial.

- Maestro Wireless – Lutron

- GrafikEye – Lutron

- RadioRA – Lutron
- Sivoia – Lutron

- Serena – Lutron

- Trilhos automatizados para cortinas – Lutron

- Controle e gerenciamento da casa por voz – 3 NYX

- Central de Controle – iSimplex

- Software iRule e Commad Fusion- Conector universal -Global Caché

- Telas de projeção Nortul

Garanta já a sua vaga!

Aulas nos dias: 1, 2, 3, 4 e 5 de Julho

Horário: 8h30 às 17hs

Incrições pelo telefone: (11) 3522-1515


Certificação compulsória de luminárias LED e de descarga a caminho

No segmento de iluminação e instalações elétricas já é comum que produtos exijam a certificação compulsória, pois comprova que o material é eficiente e seguro. Durante o Ilume Expo 2013, que ocorre de 10 a 12 de junho, em São Paulo (SP), o assistente especializado Pleno do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), Alexandre Paes Leme, antecipa que, até o final do ano haverá uma Portaria com dois anexos, exigindo que luminárias para lâmpada LED e de descarga passem a participar do Programa de certificação de modo compulsório.

Desde 2010, itens como lâmpadas a vapor de sódio a alta pressão são fabricadas e importadas somente em conformidade com os requisitos aprovados pela Portaria nº 483. “No País, cerca de 78% dos consumidores utilizam o selo de eficiência como base no momento da compra”, detalha Leme. Ainda de acordo com ele, um dos principais desafios do Programa Brasileiro de Etiquetagem / Eficiência Energética (PBE) é fazer a correta manutenção dos laboratórios acreditados.

José Sidnei Colombo Martini, prefeito do Campus da Universidade de São Paulo (USP) da capital paulista, ressaltou que iluminação pública é um dos principais processos da infraestrutura urbana. Segundo Martini, a USP pretende executar um projeto de troca de iluminação de todo o seu campus para a implantação da luz branca, “criar a mutação tecnológica é importante, uma vez que isso também gera a mudança cultural” detalha.

Ainda segundo Martini, a previsão é que cerca de 5.000 postes de iluminação pública sejam trocados, R$39 milhões investidos, sistema de telegestão onde cada poste conversará com os demais por meio de WiFi, e ainda, um experimento de captação fotovoltaica. “O novo projeto prevê que cada poste contenha duas luminárias, desse modo a iluminação será superior ao que se tem hoje”, ressalta.

O Ilume Expo é organizado pela empresa RPM Brasil, e a 2ª edição do evento debateu, dentre outros assuntos, temas como a transferência dos ativos da iluminação pública, iluminação LED, eficiência energética, reciclagem de lâmpadas, energia solar e eólica e gerenciamento de energia.

Oswaldo Sanchez Júnior, pesquisador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), discorreu sobre a emissão de CO² na atmosfera, assim como o desperdício de energia elétrica. “Mesmo com produtos mais eficientes, a iluminação pública não reduziu o seu consumo, portanto, é necessário que se tenha uma mudança de cultura de governo população”. Ainda de acordo com ele, o segmento possui a ideia de criar uma entidade que atenda o setor de logística reversa para lâmpadas.

Fonte: Jornal da Instalação


« Previous Entries Next Entries »

Powered by Wordpress | Designed by Elegant Themes